Cohab/MG beneficia portadores de necessidades especiais

No Conjunto Habitacional Clara Luciano Henrique, localizado em Lagoa da Prata, no Centro-Oeste do Estado, o mutuário Rogério Pereira Gomes, 38 anos, é uma das 99 pessoas com deficiência física que já garantiram a casa especial adaptada no Lares Geraes - Habitação Popular (PLHP), programa habitacional do Governo de Minas. Da mesma forma que os demais mutuários nessa condição, espalhados em conjuntos habitacionais de 63 municípios mineiros, Rogério diz ter muitos motivos para comemorar a mudança de vida, desde que passou a morar em uma Casa Especial da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab/MG).

O novo projeto de moradia é construído desde o final de dezembro de 2007, quando o então governador Aécio Neves sancionou a Lei estadual nº 17.248/2007, destinando aos candidatos com deficiência física até 12% das moradias dos conjuntos habitacionais edificados pela Cohab/MG. Além das 99 casas já construídas do programa, a Cohab/MG constrói mais 29 casas especiais para a parceria Governo de Minas/Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, e construirá outras 18 a serem licitadas para construção.

Cerca de 40% mais espaçosa que a casa padrão, a Casa Especial Cohab/MG tem as janelas mais baixas, a porta mais larga e o banheiro é adaptado com barras, assento para o banho e pia especial. No total, a residência tem 51,45 m² de área. Além disso, o lote em que a casa é construída é plano e o piso não pode ter desníveis. Essas e outras características técnicas da casa deram à Cohab/MG o Selo do Mérito 2008, concedido pela Associação Brasileira de Cohabs e pelo Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano. Baseada na Norma Brasileira 9050/2004 - acessibilidade a edificações, espaços e equipamentos urbanos - o projeto construtivo inovador reforça o caráter social e de promoção da cidadania do programa Lares Geraes.

Vida melhor

Há 16 anos trabalhando como porteiro da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e recebendo um salário mínimo por mês, Rogério se mostra feliz quando conta como de vida depois de ser beneficiado com a casa própria adaptada. Além de provar, com seu trabalho, que ser cadeirante não é empecilho para lutar por uma vida melhor, ele tem agora liberdade para movimentar-se na cadeira de rodas por toda a moradia.

“Morei durante oito anos em uma casa antiga, que não tinha conforto, especialmente para mim que sou cadeirante. A mudança para a casa da Cohab foi muito importante em todos sentidos. Agora não tenho dificuldade de locomoção, o que facilitou muito minha vida”, explica ele, acrescentando que o pai, de 68 anos, não precisa mais ajudá-lo nos afazeres do dia a dia.

Para Rogério, a aquisição da casa já significou uma grande conquista. Antes, pagava R$ 220 de aluguel e hoje paga R$ 94,29 de prestação. “Como recebo todo dia cinco e a prestação vence no dia 10, posso pagar em dia.” Com a economia, ele e o pai conseguiram construir mais um quarto, uma área na frente e murar ao redor da casa.

Dentre os beneficiados pela Casa Especial Cohab, outro exemplo de luta e persistência é Marcos Júnior Queiroz Tadim, 21 anos. Ele vive numa cadeira de rodas desde os 12 anos, quando adquiriu uma doença degenerativa que enfraquece os músculos, impedindo-o de andar.

Ele, a mãe, Maria José, 52 anos, e a irmã Angélica, 19 anos, moravam de favor em casa que foi dos avós, mas era reivindicada por outros 12 herdeiros, o que lhes trazia frequentes constrangimentos. Em 15 de agosto do ano passado, Marcos recebeu a casa própria, adaptada para cadeirante, dentre as 29 casas do Conjunto Habitacional Antônio Sinhô II, localizado em Sabinópolis, no Leste de Minas. Pensionista do INSS, ele é o titular do financiamento do imóvel, pois foi o único que podia comprovar os rendimentos. Por isso, ficou muito feliz com a conquista da casa, que equivale à conquista da independência.

Em Bom Sucesso, no Centro-Oeste do Estado, um dos beneficiados com a Casa Especial no Conjunto Habitacional Irmã Domitila foi Geraldo Raimundo da Silva, 62 anos. Mecânico aposentado, ele foi atendido com a casa especial, porque Reginaldo, 34 anos, o segundo de seus nove filhos, sofre desde o nascimento de paralisia das pernas e de um dos braços. “Ele não tem condições nem de virar na cama sozinho”, explicou o pai. O rendimento da aposentadoria de Geraldo é a única fonte de receita da família, que pagava R$ 240 de aluguel. “Graças a Deus ficamos livres dessa despesa e podemos dar mais conforto ao Reginaldo”, diz.

Mais conquistas

O conjunto habitacional em Lagoa da Prata apresenta ainda outras conquistas feitas por todos os moradores. As casas, na maioria, receberam obras de benfeitorias e de ampliação, e algumas delas possuem até jardins, proporcionando um colorido e uma beleza especial ao local.

Bem na entrada do conjunto, o mutuário Ronan Indélio Amorim, 41 anos, casado e pai de dois adolescentes, está finalizando a construção do muro da casa. Trabalhando de vendedor para garantir o sustento da família, Ronan contou que antes de ser beneficiado com a casa própria, tinha o salário em grande parte comprometido com o pagamento de aluguel no valor de R$ 300. Hoje, ele paga R$ 89 de prestação. Com a economia, conseguiu adquirir um carro e comprar material para fazer melhorias na casa.


Íntegra da matéria:
http://www.agenciaminas.mg.gov.br/noticias/infraestrutura/32828-casas-da-cohabmg-beneficiam-portadores-de-necessidades-especiais-casas-da-cohab-mg-beneficiam-portadores-de-necessidades-especiais

fonte: Ag. Minas

Comentários