Trabalhadores com maior nível de escolaridade tiveram mais chance no mercado de trabalho

Trabalhadores com o ensino médio completo conseguiram mais emprego nos nove primeiros meses deste ano, por meio dos postos do Sistema Nacional de Emprego (Sine), em todo o Estado. É o que revela o levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). Do total de colocados, 26.483 trabalhadores tinham o ensino médio e outros 9.156 estavam cursando essa etapa dos estudos.

Mais de 2.700 candidatos com formação superior também foram empregados. O levantamento mostra ainda que quase dez mil pessoas com o ensino fundamental completo entraram no mercado. O pior desempenho nas colocações foi para aqueles sem nenhuma escolaridade: apenas 512 inseridos no mercado de trabalho.

De acordo com a coordenadora do Sine Floresta, Mônica Duarte, as empresas estão cada vez mais exigentes no quesito escolaridade. “Algumas ocupações que até pouco tempo atrás exigiam apenas ensino fundamental, hoje demandam um profissional com ensino médio completo. Vaga para porteiro é um exemplo”, explica. “Observamos também que algumas ocupações de nível médio já exigem o 3º grau em curso”, completa.

Aliar o nível de escolaridade à experiência é o ideal para conseguir uma vaga de emprego no mercado de trabalho, conforme explica a coordenadora. Ela lembra que conhecimento, habilidade e atitude formam o tripé ideal de um bom profissional. “O conhecimento envolve a escolaridade. A habilidade vai além do conhecimento, é o fazer da melhor maneira e achar solução para problemas que ninguém consegue resolver. Já a atitude seria o comprometimento, o interesse e a proatividade”, explica. “As pessoas com baixa escolaridade têm mais dificuldade porque não têm conhecimento. Sabendo que tem limitações, acaba com medo de correr um risco. E hoje em dia correr risco calculado faz parte”, completa.

Dos mais de 70 mil colocados até setembro deste ano, 50.816 foram homens e 22.434 mulheres. As pessoas que têm entre 20 e 24 anos foram as que mais conseguiram emprego: 19.340.

Sine

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) é uma ação do governo federal, executada por meio do Ministério do Trabalho e Emprego. Em Minas, os postos são coordenados pela Subsecretaria de Trabalho, Emprego e Renda da Sedese. Os postos prestam serviços gratuitos com o objetivo de melhorar as condições de acesso, permanência ou retorno das pessoas ao mercado de trabalho.

Além de intermediar mão de obra, o Sine encaminha os profissionais cadastrados para cursos de qualificação profissional, atende o trabalhador solicitante do seguro-desemprego e disponibiliza informações sobre mercado, por meio de palestras e cursos de competências básicas para o trabalho.

Minas Gerais conta com 117 postos do Sine, sendo 25 na Região Metropolitana (RMBH) e 11 em Belo Horizonte. Os endereços e vagas oferecidas estão disponíveis no site www.sine.mg.gov.br.

Comentários