Melhoria em estradas requer comportamento seguro de motoristas e pedestres


Aproveitar os benefícios adquiridos pelo progresso, preservando a vida com segurança. Esse é o conceito trabalhado pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) e Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), responsáveis pelo Programa de Pavimentação de Ligações e Acessos Rodoviários aos Municípios (Proacesso).

O programa realiza melhorias e pavimentação de estradas de municípios mineiros e, na maioria das vezes, é necessária uma mudança no comportamento da população, tanto de motoristas, quanto de pedestres. Desde a sua implantação foram pavimentados 4,45 mil quilômetros em 178 municípios mineiros.

“O que acontece é que, antes, como a estrada era ruim, os motoristas andavam devagar e a comunidade não tinha muita preocupação ao atravessar, crianças brincavam nas beiradas. Com o Proacesso, é preciso mudar esses hábitos, pois os veículos já circulam com maior velocidade. E da mesma forma os motoristas, que às vezes tendem a acelerar mais e podem acabar perdendo o controle do veículo”, explica o diretor de infraestrutura do DER e gerente executivo do Proacesso, Marcos Frade.

O alerta à população também é ressaltado pela coordenadora do Núcleo de Educação para o Trânsito do DER/MG, Rosely Fantoni. “Para a comunidade o asfalto é novidade e traz muitos benefícios, mas também requer uma nova postura de segurança até então não vivenciada pelas pessoas. Este é o maior desafio”, destaca. O Núcleo já atendeu, por meio de palestras e oficinas, a 36 municípios dos entornos das obras, com esta missão, chegando a 290 escolas e 3.102 participantes. “Nossa intenção é exatamente mostrar esta nova realidade e instrumentalizar a população para aproveitar os benefícios adquiridos com o Proacesso, mas preservando a vida”, afirma Fantoni.

As palestras abordam temas como: alterações previstas na cidade em função do asfaltamento da rodovia; os papéis do homem no trânsito; Código de Trânsito Brasileiro; como comportar no trânsito; segurança do pedestre e do motorista; segurança do ciclista e do motociclista; dez mandamentos para o motorista defensivo; entre outros. O público alvo das ações é composto de autoridades e formadores de opinião dos municípios, além de representantes dos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito, professores e educadores das esferas municipal, estadual e particular.

Conscientização

A coordenadora do Núcleo de Educação para o Trânsito do DER/MG acredita que o trabalho de conscientização é fundamental para mudar o comportamento da população e diminuir os riscos de acidentes no trânsito. “Quando falamos em mudança de comportamento, estamos trabalhando com uma perspectiva de alteração de hábitos que não ocorre de um dia para outro. Esta etapa deve acontecer através da informação e conscientização de nosso papel enquanto cidadãos, que vive em constante trânsito, e de uma reavaliação de valores e atitudes. Este é um processo que precisa ser alimentado permanentemente e passa por uma nova visão e reflexão do indivíduo enquanto ser social, que começa dentro de casa, através do bom exemplo, deve ser reforçado na escola e integrado, cobrado e apoiado pela sociedade”, comenta.

Para 2011, Rosely Fantoni informa que já existe uma programação. “A ideia é contemplar o atendimento, prioritariamente, daqueles municípios onde existe risco de maior conflito entre os pedestres, elemento mais sensível no trânsito, e o veículo”, relata.

Comentários