Mulher é o foco da campanha de prevenção à Aids neste carnaval


A terça-feira de carnaval deste ano será no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Aproveitando a data, a campanha de prevenção contra a Aids, que acontece em todo o Estado, terá como público-alvo a ala feminina. Com o slogan “Bote camisinha nas suas histórias de carnaval”, a campanha pretende incentivar as mulheres a promoverem o autocuidado, usando preservativo em todas as relações sexuais.

“Estamos seguindo o tema proposto pelo Departamento Nacional de DST/Aids. O foco será o público jovem, com idade entre 15 e 24 anos, que geralmente se expõe mais durante a folia. E já que o período do carnaval coincide com o Dia internacional da Mulher, aproveitamos para reforçar junto ao público feminino a importância da prevenção”, explica a referência técnica estadual em DST/Aids, Janaína Mesquita.

A ênfase dada às mulheres não se deve somente à coincidência de datas. As estatísticas também foram levadas em consideração, já que elas apontam que o número de casos de Aids no público feminino cresceu, consideravelmente, desde o início da epidemia. Nos quatro anos que se seguiram após o surgimento da doença, não houve nenhuma notificação entre as mulheres. Já a partir de 1986, os registros crescem ano a ano.

Em razão desses números, os materiais educativos a serem distribuídos foram elaborados com apelo para as mulheres. Ao todo, são 700 mil porta-preservativos, 500 mil leques e 300 mil volantes. Além disso, serão distribuídos 1,5 milhão de camisinhas masculinas.

“Todo esse material será entregue à população por meio das Gerências Regionais de Saúde, municípios e parceiros, como ONGs, Polícia Militar, Escola de Saúde Pública e outras secretarias. A primeira ação já acontece no dia 26 de fevereiro, durante o desfile da Banda Mole”, conta Janaína.

As ações de rua prosseguem no dia seguinte, com a distribuição de materiais em bares de Belo Horizonte. Na semana do carnaval, também haverá atividades na rodoviária, estações do metrô, aeroportos e na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. A população será abordada por promotores, que passarão mensagens educativas e entregarão os materiais. A abordagem ocorrerá ainda em diversas cidades, especialmente naquelas que recebem mais foliões, como Abaeté, Diamantina, Itabirito, Mariana, Ouro Preto, Pirapora e Tiradentes.

O grupo Vhiver, uma Organização Não Governamental que oferece apoio às pessoas portadoras do vírus HIV, será um dos parceiros da Secretaria de Estado de Saúde (SES) durante o carnaval. A ONG, que vai realizar atividades em municípios da Zona da Mata, Jequitinhonha e Região Metropolitana de Belo Horizonte, receberá materiais para distribuir durante as abordagens.

“Estamos trabalhando em parceria com o Governo do Estado há vários anos e temos obtido muito sucesso. Para 2011, estamos ainda mais animados, nos preparando, inclusive, para incluir Ouro Preto em nosso roteiro. Sem dúvida, será mais um carnaval de muito trabalho e conscientização da população”, destaca o presidente do Grupo Vhiver, Valdecir Fernandes Buzón.

Durante todo o carnaval, será veiculado um spot nas principais rádios do Estado e afixados outdoors nas principais saídas de Belo Horizonte e em municípios do interior. Tais mídias vão reproduzir o tema da campanha.

Terminada a folia, a campanha continua com foco no incentivo à realização do exame para diagnóstico. O material educativo vai exibir a mensagem “Não usou camisinha, faça o teste Aids, sífilis e hepatites. Para quê ficar na dúvida? Os testes são gratuitos, sigilosos e seguros”. Nessa fase, serão distribuídos 20 mil cartazes e 30 mil adesivos de banheiro.

Comentários