Detento reencontra família após oito anos de separação


O detento Cleidimar Jesus de Sousa, que cumpria pena desde janeiro deste ano na Penitenciária de Formiga, no Centro-Oeste do Estado, viveu a emoção de reencontrar seus parentes esta semana, após oito anos de separação. O reencontro aconteceu na porta da unidade, no momento de sua libertação e foi possível devido ao empenho dos servidores da unidade prisional, que buscaram as informações e fizeram todo o contato com a família do detento.
De acordo com Daniela Ribeiro de Souza, diretora administrativa da Penitenciária de Formiga, Cleidimar ficou sem notícias da família durante oito anos, o que levou seus parentes a acreditarem que ele estivesse morto. “Os familiares ficaram tão felizes ao receber a ligação da penitenciária que viajaram 970 km, da cidade de Pedro Canário, no Espírito Santo, até Formiga, para recepcioná-lo em sua saída da prisão”, conta.
No dia 8 de maio, a direção da penitenciária recebeu o alvará de soltura expedido pela Justiça para Cleidimar. Ele tinha sido preso em flagrante por furto e o documento o beneficiava com a liberdade provisória. No entanto, ao providenciar as documentações necessárias ao procedimento, os servidores da penitenciária constataram que o detento possuía dois prontuários cadastrados na Polícia Civil.
Emoção
Para unificar os prontuários e regularizar a situação do preso, os servidores realizaram incessantes buscas de informações sobre seu nome correto, filiação, naturalidade e nascimento. Durante a procura, a equipe da Penitenciária de Formiga conseguiu localizar um cunhado de Cleidimar que trabalhava em um hotel na cidade de Pedro Canário, onde ele nasceu.
Segundo a coordenadora do Sistema Integrado de Informação Penitenciária (Infopen) da unidade, Ana Paula da Silva Faria, a família ficou muito emocionada ao receber a ligação da penitenciária. “Eles ficaram surpresos e felizes quando descobriram que Cleidimar estava vivo. Providenciaram imediatamente toda a documentação de cartório necessária para que conseguíssemos regularizar a situação do preso e liberá-lo”, conta.
O detento foi liberado da unidade no dia 23 deste mês e recebido por sua irmã e cunhado na saída. “Os familiares de Cleidimar haviam chegado a Formiga no dia anterior e ficaram bastante emocionados durante o reencontro”, conta a diretora Daniela.
Cristina, irmã do preso, disse que foi uma felicidade muito grande tê-lo de volta. “Rezávamos todos os dias por ele, foi um milagre de Deus esse encontro”. Cleidimar seguiu com a irmã no mesmo dia para Pedro Canário, onde pôde reencontrar também a mãe que, já adoentada, teve a chance de abraçar novamente o filho.

fonte: Ag. Minas

Comentários