A internet utilizada como ferramenta de educação

Cerca de 6,5 milhões de brasileiros estudam pela internet, segundo dados de 2009, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Os internautas que mais procuram atualização profissional pela rede mundial de computadores são aqueles com curso superior, eles representam 22% do total, seguidos dos que cursaram até o ensino médio (8%) e dos que estudaram até o fundamental (5%).

O desenvolvimento da tecnologia, com vídeos, esquemas de estudo em flash e a comunicação em tempo real, com professores e colegas, são alguns dos aspectos que permitem o contato com o conhecimento sem sair de casa.

Mas tais possibilidades não são para todos. As classes mais altas são as que mais frequentam cursos on-line: a classe A com 21%; classe B com 14%; e classe C 10%. A pesquisa atesta que aqueles que acessam a internet de locais como telecentros e lan houses têm menos chance de participar de um curso on-line.

O Youtube também possui usuários interessados em compartilhar conhecimento gratuitamente. Canais de ensino de inglês e assuntos cotados para o vestibular são os mais desenvolvidos. Um dos mais visualizados é o canal de Steve Kaufmann, um autodidata que aprendeu mais de 10 línguas e compartilha experiências e método de aprendizagem por meio de vídeos.


Portal Eco

Comentários