sexta-feira, 29 de abril de 2011

Comitê do Centenário lança site dia 23 de maio

 em Notícias


O Comitê do Centenário, entidade supra-partidária e que reúne representantes de diversos segmentos da sociedade para tratar dos eventos e ações comemorativas do centenário de Bom Despacho, definiu em reunião realizada esta manhã (28/04) que o site do Comitê estará disponível ao público no próximo dia 23 de maio. Desta data até o dia 15 de julho a população poderá inscrever propostas de projetos comemorativos relacionados à data que serão avaliados pela sua exeqüibilidade pelo Comitê. O endereço é www.centenariodebomdespacho.com.br.

Governo Federal pode apoiar obras do Hospital Público

Em reunião solicitada pelo deputado Domingos Sávio, o ministro da saúde ouviu a reivindicação de grande comitiva para que a União destine recursos para a conclusão das obras e para o funcionamento do Hospital.

O deputado federal Domingos Sávio (PSDB) apresentou nesta quarta-feira, dia 27, o pedido ao ministro da saúde Alexandre Padilha para que o Governo Federal destine recursos para a conclusão das obras do Hospital Público Regional em Divinópolis, solicitando também a participação no custeio da unidade. A reivindicação foi apresentada em uma reunião agendada pelo deputado, onde estiveram presentes outros parlamentares e autoridades de Minas e de Divinópolis, e recebeu uma sinalização positiva do ministro. Padilha comprometeu-se a estudar a melhor forma de parceria, lembrando da necessidade de que o projeto do hospital contemple as principais políticas sanitárias do Governo.

“Tivemos uma excelente reunião, mostrando a nossa intenção de somar forças de forma suprapartidária para que a população de Divinópolis desfrute dessa importante obra em breve”, afirmou o parlamentar. “Contamos com a presença do deputado Reginaldo Lopes, coordenador da nossa bancada de minas, e também com a presença do deputado Jaime Martins, além do secretário de saúde de Minas, e todos juntos mostramos a importância de termos o Governo Federal junto conosco nessa empreitada”.

Desde o início de seu mandato em Brasília, Domingos Sávio tem se dedicado a buscar a participação do Ministério da Saúde na iniciativa. Em fevereiro, o parlamentar apresentou ao ministro o problema da falta de leitos do SUS na região e a ausência de um Hospital Escola para a Universidade Federal de São João del-Rei – UFSJ. Na ocasião, o deputado destacou a importância das obras do Hospital Público, que terá capacidade final de 500 novos leitos para a cidade e que conta com investimentos de R$ 36 milhões do Governo de Minas e contrapartida da Prefeitura Municipal.

O secretário de estado de saúde de Minas Gerais, Antônio Jorge Souza Marques, explicou ao ministro a iniciativa. “Trata-se de uma política estadual, voltada para a construção de hospitais equipados e preparados para atendimentos de urgência e emergência”, disse o secretário. “Em Divinópolis, teremos a peculiaridade de oferecer à população um hospital que também atenderá às necessidades do curso de medicina e demais cursos da área de saúde oferecidos pela UFSJ”.

Para o prefeito de Divinópolis, Vladimir Azevedo, a participação do Governo Federal trará inúmeros benefícios quando confirmada. “Tivemos uma boa acohida do ministro e vamos trabalhar agora nos próximos passos para viabilizar esse importante convênio, com uma articulação entre a Prefeitura, a UFSJ, a Secretaria de Estado de Saúde e o Conselho de Secretários Municipais de Saúde”, explicou o prefeito.

De acordo com o deputado Domingos Sávio, a reunião sinalizou um importante passo no projeto do Hospital Público. “Estamos trabalhando muito nisso e pensando longe. Enquanto as obras estão em andamento, já estamos pensando no custeio, na forma de gestão e no funcionamento”, explicou o parlamentar. “Vamos fazer uma grande corrente no sentido de que, no ano que vem, a população de Divinópolis e de todas as quase 80 cidades de nossa região possam contar com um hospital que seja realmente referência para todo o país. Estamos firmes nesse compromisso”.

Além do deputado Domingos Sávio, do prefeito Vladimir e do secretário Antônio Jorge, compuseram também a comitiva os deputados federais Jaime Martins e Reginaldo Lopes, o reitor da UFSJ, Helvécio Luiz Reis,o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Minas Gerais, Mauro Junqueira e o vereador Geraldinho da Saúde. Pelo ministério, acompanharam o ministro Alexandre Padilha o secretário de atenção à saúde, Helvécio Miranda Magalhães Júnior, além de assessores.



-- 


quinta-feira, 28 de abril de 2011

Minas Gerais vai exportar mudas de frutas cítricas diretamente para a África

Dona Euzébia e Astolfo Dutra, municípios vizinhos localizados na Zona da Mata, estão cada vez mais distantes do período em que suas economias eram sustentadas pelo cultivo da cana de açúcar e do fumo. Até 25 anos atrás, a usina de açúcar e álcool localizada em Astolfo Dutra ainda era a principal geradora de empregos na região, mas a produção de mudas de frutas, plantas ornamentais e florestais, desenvolvida por agricultores familiares, já se tornava expressiva principalmente em Dona Euzébia. Agora, este município lidera a produção de mudas no Estado e poderá iniciar exportações diretas do produto para a África no segundo semestre.


De acordo com a Câmara Técnica de Fruticultura do Conselho Estadual de Política Agrícola (Cepa), criada pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Dona Euzébia é atualmente o segundo produtor nacional de mudas cítricas (principalmente laranja, limão e tangerina) depois de Limeira, em São Paulo. Dona Euzébia deve responder por cerca de três milhões dessas mudas em 2011. O extensionista Virgílio Machado de Almeida, do escritório local da Emater-MG, considera que as exportações diretas daquelas mudas para os países africanos, desembarcadas em Angola, deverão fortalecer a produção. Ele diz que a empresa de extensão, vinculada à Seapa, dá suporte a mais de 300 produtores em Dona Euzébia, prestando assistência técnica diretamente a mais de 100 viveiros.


O trabalho dos técnicos da Emater-MG para o aprimoramento da produção de mudas foi reconhecido por representantes de Angola que visitaram Dona Euzébia depois que produtores mineiros estiveram na África. Esse intercâmbio teve a participação do presidente da Cooperativa dos Produtores e Comerciantes de Mudas de Dona Euzébia, Romildo Pereira. Ele informa que, em novembro de 2010, integrou uma missão que foi ao encontro de produtores e técnicos envolvidos em programas de produção de frutas cítricas em Angola.


“Depois dos contatos que fizemos com esses grupos e representantes de organizações que têm potencial para adquirir o nosso produto, tivemos condições de acelerar a criação, em Dona Euzébia, de uma empresa exclusivamente para a exportação de mudas”, diz Pereira. O produtor acrescenta que dentro de dois meses a empresa deve ter autorização para funcionar, e acredita que terá um considerável reforço na receita de sua propriedade com as exportações diretas para a África.


“Nosso potencial de exportação de mudas é muito grande”, enfatiza o produtor, que participa também da Câmara Técnica de Fruticultura do Cepa. Por enquanto, ele acrescenta, as exportações mineiras de mudas para o continente africano são feitas por meio de uma empresa do Rio de Janeiro. Em 2010, Pereira participou com embarques de um volume aproximado de 15 mil mudas de frutas cítricas, e agora está se preparando, com outros três produtores de Dona Euzébia, para atender aos primeiros contratos de venda direta.


Produto de qualidade


Os agricultores familiares Sebastião Nunes Henriques e Leonardo Henriques, pai e filho, fazem parte do grupo de agricultores familiares de Dona Euzébia que se dedicam à produção de mudas. A colheita na sua propriedade (Fazenda Dona Zélia) entre setembro e dezembro, segundo Sebastião, deverá alcançar 53 mil mudas de cítricos, volume 22% superior ao registrado no ano passado. “As condições são amplamente favoráveis à produção de mudas na região. O clima é temperado, a terra tem excelente qualidade para os cultivos e, para o desenvolvimento das mudas, ainda contamos com muito sol e muita chuva”, explica o produtor.


Sebastião acrescenta que os compradores do mercado interno de mudas, principalmente no segmento de frutas cítricas, estão cada vez mais exigentes quanto à procedência e qualidade do produto. “Por isso, esses compradores que buscam mudas em Dona Euzébia preferem fazer o transporte quase sempre em seus próprios caminhões. Já o sistema de vendas por entrega ainda é adotado principalmente para mudas de plantas ornamentais como as palmeiras”, ele completa.


De acordo com Thyara Rocha Ribeiro, assessora técnica da Seapa, os produtores do segmento de mudas em Minas Gerais estão sempre atualizados quanto às tecnologias, tendências e exigências do mercado. Ela acrescenta que a qualidade das frutas está diretamente ligada ao histórico da planta que a produziu. “Por isso é importante adquirir mudas certificadas, com padrão uniforme, o que facilitará os tratos culturais e a colheita. Mudas nessas condições são mais produtivas e evitam a disseminação de pragas e doenças. Outra vantagem é que essas plantas sadias servirão de matriz para a formação de outras mudas destinadas à ampliação de pomares comerciais”.


Segundo a assessora, o fator qualidade possibilita a crescente oferta de mudas em Dona Euzébia e Astolfo Dutra, onde são produzidas cerca de 120 diferentes espécies e variedades. Além das mudas cítricas, o município produz 20 milhões de mudas ornamentais e florestais. Destacam-se algumas para jardim (azaleias, dracenas, palmeiras e bromélias), nativas (ipê amarelo, ipê rosa, pau-ferro, copaíba, cedro e jatobá).


Já o agricultor familiar Ronaldo Fernandes Souza fez a opção pelo cultivo de mudas de mangueira e tem a perspectiva de uma colheita de 70 mil unidades, o dobro do volume registrado em 2010. A variedade predominante na propriedade de Souza é a umbu, cotada no ano passado a R$ 3,50 a muda pronta para o plantio. “Estamos expandindo as vendas de nossas mudas e já fizemos negócios inclusive com compradores de Juazeiro, na Bahia”, explica o produtor, que também sonha com a possibilidade de exportar.
 
fonte- Ag. Minas

terça-feira, 26 de abril de 2011

Maioria dos aeroportos de cidades-sede da Copa não estará pronta até 2014


As obras de ampliação de nove dos 12 aeroportos em funcionamento nas 12 cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo de Futebol de 2014 não deverão ser concluídas até o início do evento. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a situação é preocupante. A demora nas obras também já motivou críticas do presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter.

De acordo com os responsáveis por uma nota técnica divulgada no dia 14 de abril, em Brasília (DF), considerando-se os prazos médios para elaboração de projetos, obtenção de licenças obrigatórias, realização de licitações públicas e início do serviço, “muito provavelmente não será possível concluir a maioria das obras de expansão dos terminais aeroportuários até a Copa de 2014”.
Segundo o Ipea, além dos nove terminais já em operação, o novo aeroporto de Natal (RN), que ainda está em construção, também não deve ficar pronto antes de junho de 2014.

De acordo com os técnicos do Ipea, uma obra de infraestrutura em transportes leva em média 92 meses para ficar pronta, ou seja, mais de sete anos. Assim, com base em informações sobre a atual situação de cada aeroporto, fornecidas pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), os técnicos do Ipea estimam que as obras dos aeroportos de Manaus (AM), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Guarulhos (SP), Salvador (BA), Campinas (SP) e Cuiabá (MT), todos ainda em fase de elaboração de projeto, não estarão prontas antes de 2017.

Nos aeroportos de Confins (MG) e de Porto Alegre (RS), embora o projeto de reforma já esteja pronto, as obras devem demorar cerca de seis anos e meio para serem concluídas.

“Para nós, há tempo hábil para que os investimentos necessários em pistas, pátios e nos terminais provisórios sejam feitos até 2014. Nossa preocupação maior é com os investimentos mais complexos, ou seja, nos terminais [permanentes] de passageiros”, afirma o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea, Carlos Campos, um dos responsáveis pelo estudo.

O aeroporto de Curitiba (PR), diz a nota técnica, teria condições de receber os jogos desde que “tudo dê certo e as obras começassem em janeiro deste ano”. De acordo com o site da Infraero, os projetos de ampliação do pátio e da pista de táxi, apresentados pelas construtoras que disputam o serviço, ainda estão sendo analisados, assim como as planilhas dos projetos de ampliação do terminal de passageiros. Já o Galeão (RJ), que está em obras, encontra-se em uma situação considerada adequada. Mesmo caso de Recife (PE), onde a previsão é de que seja construída apenas uma torre de controle.


fonte: Portal Eco

Pressão alta exige cuidados para evitar doenças cardiovasculares


No Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, lembrado nesta terça-feira (26), a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)alerta a população para os cuidados que devem ser tomados para evitar este agravo, considerado uma doença silenciosa. A hipertensão é uma condição crônica que se caracteriza por valores elevados e sustentados de pressão arterial. Ela frequentemente se relaciona às alterações funcionais e/ou estruturais de órgãos-alvo (coração, vasos sanguíneos, encéfalo e rins) e a alterações metabólicas, com consequente aumento do risco de eventos cardiovasculares.
No ano de 2010, foram registradas 32.471 mortes em Minas Gerais decorrentes de doenças cardiovasculares. Segundo o médico consultor daCoordenação Estadual de Hipertensão e Diabetes (Hiperdia), Aílton Cezário Alves Júnior, em linhas gerais, a pressão arterial é considerada normal quando seus valores estão menores que 120 mmHg para a pressão arterial sistólica e menores que 80 mmHg para a pressão arterial diastólica. É considerado pré-hipertensão quando os valores da pressão arterial sistólica estão entre 120-130 mmHg ou a pressão arterial diastólica está entre 80-89 mmHg. Acima desses números já é considerado hipertensão.
Grande parte dos casos de hipertensão arterial não tem causa aparente facilmente identificável, caracterizando a chamada hipertensão arterial primária. Entretanto, de 3% a 10% dos casos de hipertensão são decorrentes de uma causa identificável, que precisa ser devidamente diagnosticada, uma vez que a remoção do agente causador torna possível o controle ou a cura da hipertensão arterial. Nesses casos, tem-se a hipertensão arterial secundária, que apresenta como causas, as doenças renais e metabólicas.
Para Fernanda Santos Pereira, nutricionista e técnica do Hiperdia, o tratamento dos hipertensos deve considerar “a adoção de estilo de vida saudável, com redução do peso corporal, prática regular de atividade física, fim do hábito de fumar, moderação no consumo de álcool, redução no consumo de sódio e consumo de dieta rica em frutas, verduras e legumes”. Para valores de pressão arterial sistólica igual ou superior a 140-159 mmHg e diastólica igual ou superior a 90-99 mmHg, além das mudanças no estilo de vida, é recomendada a introdução de terapia medicamentosa.
Hiperdia
No nível da atenção primária à saúde, o Programa Hiperdia atua no estabelecimento das diretrizes clínicas estaduais referentes ao controle da Hipertensão, Diabetes, Doença Cardiovascular e Doença Renal Crônica; no apoio à implementação de instrumentos de capacitação e fortalecimento da gestão da clínica, como Canal Minas Saúde e Tele-Saúde; na distribuição de material educativo para as Unidades de Atenção Primária e na capacitação dos profissionais de saúde em temas específicos.
Na atenção secundária à saúde, uma das prioridades do Hiperdia é a implantação dos Centros Hiperdia Minas - Centros de Referência Secundária em Hipertensão e Diabetes -, que atendem hipertensos com um alto grau de complexidade e diabéticos com controle metabólico ruim.
Em 2007 foi inaugurado o primeiro Centro Hiperdia Minas na microrregião de Janaúba/Monte Azul. Em 2008 foi a vez da microrregião de Brasília de Minas/São Francisco ser contemplada. A microrregião de Itabirito recebeu seu Centro em 2009. Já no ano de 2010 foram implantados seis Centros Hiperdia nas seguintes microrregiões: Divinópolis/Santo Antônio do Monte, Almenara/Pedra Azul, Juiz de Fora/Lima Duarte/Bom Jardim de Minas, São João Nepomuceno/Bicas e Santos Dumont, Patrocínio/Monte Carmelo, Itabira e Viçosa.   
Com a implantação desses nove Centros Hiperdia, a SES-MG já investiu R$ 2,8 milhões para a compra de equipamentos e materiais permanentes, além das obras para as construções de espaços físicos destinados a esses Centros e manutenção dos serviços. Os Centros Hiperdia Minas cobrem atualmente mais de 2.600.000 mineiros.
Ao se analisar os dados do Datasus de 2008 a 2010, período em que foram implantados os Centros Hiperdia Minas citados, com relação ao indicador “Taxa de internações por Acidente Vascular Cerebral” (este indicador reflete a ocorrência de internações hospitalares por acidente vascular cerebral em indivíduos de 30 a 59 anos de idade para cada 10.000 habitantes nessa mesma faixa etária) foi possível constatar que houve uma redução desta taxa no Estado, passando de 8,06 em 2008 para 7,99 em 2009 e 7,79 em 2010.
Deve-se ressaltar que esse indicador avalia, de forma indireta, a disponibilidade de ações básicas de prevenção e controle da doença hipertensiva, especialmente na atenção primária e secundária.
fonte: Ag. Minas

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Semana Santa teve queda de 28,5% de mortes por acidentes nas estradas mineiras

Durante os quatro dias do feriado da Semana Santa (21 a 24 de abril) de 2011, houve queda de 28,5% no número de vítimas fatais em decorrência de acidentes registrados nas estradas estaduais de Minas Gerais na comparação com os três dias do feriado do ano anterior. Vinte pessoas morreram nas estradas, sendo que em 2010 o número de vítimas fatais chegou a 28. O número de feridos aumentou 53,7%. Foram 366 vítimas em 2011, contra 238 no período equivalente do ano passado.


Ao todo, 48.983 veículos foram fiscalizados pela Polícia Militar Rodoviária, 31,2% a mais que no ano anterior, quando 37.314 carros foram abordados. As operações policiais resultaram na apreensão de 132 veículos, contra 104 do feriado de 2010, representando um aumento de 26,9%. O número de carros retidos subiu de 2.784 para 4.120 este ano, um acréscimo de 47,9%.

Houve aumento de 57,8% no índice de Carteiras Nacionais de Habilitação (CNH) recolhidas, passando para 232 documentos nos quatro dias do feriado, contra 147 na Semana Santa anterior. Um total de 308 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos (CRVL) foram recolhidos. Em 2010, o número ficou em 240.

Prisões e autuações

O número de motoristas inabilitados autuados mais que dobrou na comparação com o feriado do ano passado. Foram 541 casos de motoristas flagrados dirigindo sem carteira, contra 264 na Semana Santa de 2010. Oitenta pessoas foram presas devido à combinação álcool e volante, sendo que no ano passado ocorreram 30 prisões.

Foram realizados 344 testes de etilômetros em motoristas sob suspeita de consumo de bebidas alcoólicas, contra 74 no feriado prolongado de 2010. As abordagens resultaram em 5.358 autos de infração redigidos pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER/MG), sendo que no ano anterior o número foi de 3.855 autuações. Já a Polícia Rodoviária Federal emitiu 1.827 autos de infração nas estradas estaduais de Minas, contra 1.044 registradas em 2010.

A malha rodoviária estadual mineira soma 26.604 quilômetros. Já a malha rodoviária federal no Estado é de 8.957 quilômetros. Houve estabilidade no número de acidentes com vítimas fatais, com 18 ocorrências este ano, quantidade idêntica à do feriado do ano passado. Foram 194 acidentes com vítimas de ferimentos, contra 112 no ano anterior, o que equivale a um aumento de 73,2%. O número de acidentes sem vítimas teve aumento de 94,9 %, com registro de 191 casos este ano, contra 98 na Semana Santa de 2010. O total de acidentes, que em 2010 foi de 238 ocorrências, este ano subiu para 366, ou seja, aumentou 76,7%.

Causas

De acordo com a Polícia Militar, as principais causas dos acidentes foram a imprudência (desatenção ao volante, alta velocidade, ultrapassagem proibida, desobediência à sinalização, entre outros), com 268 ocorrências. Houve registro de 30 casos de acidentes decorrentes de embriaguez do condutor, 24 ocorrências de derrapagem, 32 acidentes provocados por animais na pista, 15 acidentes em decorrência de má visibilidade e seis relatos de motoristas que dormiram ao volante.

A Operação Semana Santa contou com a participação de um efetivo de 4.457 policiais militares, utilizando uma frota de 1.687 viaturas. Os trabalhos tiveram início às 18h da quarta-feira (20), e se estendeu até a meia-noite do domingo (24).

fonte: Ag. Minas

domingo, 24 de abril de 2011

Palmeiras e Associação fazem final inédita no Campeonato Municipal

                                                      
Neste final de semana, o Campeonato Municipal conheceu quem irá disputar o título de 2011. Ontem, no estádio Antônio Leite de Oliveira, a Associação goleou o Cristalino por 4 a 0 e garantiu-se na final da competição. A equipe pega agora o Palmeiras , que venceu o Famorine também fora de casa. O time da Garça derrotou o rival por 3 a 0.

 
Uma final inédita para marcar a história do futebol de Bom Despacho. "Sempre acreditamos na nossa classificação, para disputar o título", diz Edimilson, técnico do Palmeiras em conversa com o Jornal Fique Sabendo após a partida Famorine 0 x 3 Palmeiras.

O primeiro jogo da final estava marcado para acontecer dia 30 de abril, mas como a Associação estreia na Copa Alterosa dia 1 de maio, o confronto poderá ser adiado para o outro final de semana.