sábado, 8 de outubro de 2011

MP marca data para Empresário devolver dinheiro

O cancelamento do João Bosco e Vinícius, marcado para ter acontecido em BD, no final de agosto, acabou gerando bastante polêmica. Um grupo de pessoas que se sentiu lesado pela não realização do evento, entrou com uma ação requerendo o dinheiro de volta, junto ao Ministério Público.

Esta semana saiu a decisão que determina a devolução do dinheiro ao público comprador dos ingressos de pista e camarote. A devolução deverá ocorrer até o dia 21 de novembro em Bom Despacho.

O empresário do evento Fred Arruda também já se envolveu em outro  episódio parecido como este. Em 2008, por exemplo, a sua empresa era responsável pela realização do Carnaval em Bom Despacho. Na oportunidade, havia anunciado o show da banda Inimigos do HP, o que não aconteceu.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Carne vermelha é componente fundamental para um cardápio nutritivo


Os suculentos bifes de carne vermelha podem causar peso na consciência dos que são adeptos de uma alimentação saudável, mas nem sempre essa é a vilã da história. Muitas vezes rotulada como alimento prejudicial a saúde, a carne é componente fundamental para um cardápio nutritivo.

A carne vermelha é um alimento rico em nutrientes, com substâncias essenciais para o crescimento e desenvolvimento humano, é o alimento que contém a maior quantidade de ferro. O alimento possui também as vitaminas A,D,E e K e uma grande concentração de vitaminas do complexo B, em especial a B12. Essas vitaminas são importantes para a prevenção de anemia, principalmente em crianças, gestantes e idosos. Esse mineral também ajuda a aumentar a imunidade ao favorecer a renovação celular. 

Além de conter inúmeros nutrientes e possuir um alto valor nutricional, a carne vermelha auxilia na recuperação muscular. Por ser composta por proteínas de alto valor biológico, ou seja, que contêm todos os aminoácidos essenciais é uma ótima opção de alimento para os praticantes de atividade física.


www.premiatto.com.br

Governo de Minas põe fim ao contracheque impresso


O contracheque em papel está com os dias contados no Governo de Minas. Neste mês de outubro, o servidor estadual receberá, pela última vez, seu comprovante salarial impresso. A partir de novembro, ele poderá ser acessado pelo Portal do Servidor, por meio dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil e também pelo portal do banco na internet.
A medida foi adotada por três motivos: sustentabilidade, segurança e economia para os cofres públicos. A sustentabilidade é a base da iniciativa. Com o fim da emissão de cerca de 500 mil contracheques, todo mês, o governo deixará de gastar 250 mil folhas de papel A4, o que equivale a 500 pacotes deste padrão, com 2,33Kg cada.
De acordo com a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), 40 kg de papel produzido equivalem a uma árvore cortada. Só com o fim da impressão dos contracheques, 365 árvores serão poupadas a cada ano, ou seja, uma árvore por dia.
A questão da segurança é outro ponto importante. O contracheque impresso já chega com atraso ao servidor, devido ao complexo sistema de distribuição. Caso o documento não seja entregue em mãos, por problemas de entrega ou postagem, a confidencialidade das informações corre o risco de ser violada.
Quanto à economia, o Governo de Minas vai deixar de gastar cerca de R$ 7 milhões por ano só com a postagem e impressão do comprovante salarial.
O contracheque no formato eletrônico poderá ser acessado de diversas maneiras. “O contracheque eletrônico já existe e é pouco usado. Ele é disponibilizado para o servidor antes mesmo do crédito em conta, ou seja, no primeiro dia de cada mês”, lembra a diretora da Superintendência Central de Administração de Pessoal, Soraya de Fátima Mourthé.
Nesta segunda-feira (10), o governo irá divulgar, no Portal do Servidor, o passo-a-passo para acessar o contracheque eletrônico. Nos caixas automáticos do Banco do Brasil, basta digitar o MASP para abrir o documento. E no portal do banco na internet, não é preciso cadastro para visualizar as informações.
“Nosso objetivo, com essa medida, é unir o útil ao agradável. O fim do contracheque impresso tem caráter sustentável, pela economia de papel gerada. E também há o alto custo para os cofres estaduais. Além disso, a informação impressa chega com atraso ao servidor. O governo trabalha sempre para otimizar os gastos públicos, e essa iniciativa vai ao encontro disso”, destaca a subsecretária de Gestão de Pessoas, Fernanda Neves.
Outros órgãos públicos, como as prefeituras de Belo Horizonte e de Contagem e também o INSS, além de inúmeras empresas da iniciativa privada no país já adotaram a medida.
Ag. Minas

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Brasil precisa se preparar para envelhecimento, apontam especialistas


A organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que até 2050 o Brasil será o sexto do mundo com o maior número de idosos. O país deverá chegar a 2050 com cerca de 15 milhões de anciãos, dos quais 13,5 milhões com mais de 80 anos. A velocidade do envelhecimento tem superado a implementação de ações para oferecer melhores condições de vida à terceira idade.

“O processo é muito rápido, e as políticas públicas não têm acompanhado isso. Viver em uma sociedade com muito mais idosos do que crianças requer um planejamento intenso”, afirmou o médico geriatra Luiz Roberto Ramos, da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Atualmente o Brasil possui cerca de 20 milhões de idosos, o que corresponde a aproximadamente 10% da população do país, a maioria (6,5 milhões) tem entre 60 e 64 anos. Belo Horizonte, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro são as capitais com maior número de idosos - as informações são do Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Apenas 0,8% dos idosos vive em asilos no Brasil”, comentou o geriatra Einstein de Camargos, do Hospital Universitário da Universidade de Brasília (UnB), ao se referir as famílias que estão cada vez menos preparadas para conviver com os idosos. “Quem dava apoio [aos idosos] era a família, mas essa estrutura se perdeu. Hoje, cada um está envolvido com a sua vida. Além disso, as cidades grandes não estão adaptadas para um idoso”, enfatizou.

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado em maio deste ano, mostra que o número de instituições públicas que abrigam os idosos não acompanha o crescimento da terceira idade. O Brasil tem 3.548 asilos, onde 218 são públicos.
De acordo com a psicóloga Vera Lúcia Coelho, professora do curso de psicologia clínica da UnB, o país precisa se preparar para o envelhecimento acelerado da população nos próximos anos. “Temos a ilusão de viver em um país de jovens. A propaganda de que a beleza jovem é a única possível e saudável está impregnada na gente”, ressaltou.


Segundo a OMS, o envelhecimento da população tem reflexo direto no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. As doenças crônicas não transmissíveis, que afetam principalmente idosos, provocam impacto anual de 1% no PIB, de acordo com a estimativa da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Anualmente são gastos cerca de R$ 60 bilhões com doenças da típicas da terceira idade no Brasil, informou a Comissão para Estudo do Envelhecimento Mundial.

O Dia do Idoso foi celebrado em 1º de outubro, data a qual também é comemorada no Brasil o aniversário do Estatuto do Idoso.

"Tenho de trabalhar para sobreviver"

Aos 64 anos, Rita Simplícia da Silva ganha a vida vendendo balas em um semáforo na área central de Brasília. Moradora de Santo Antônio do Descoberto, município goiano localizado região do Entorno do Distrito Federal (DF), Rita tem cinco filhos, mas nenhum reside perto dela.

Segundo a comerciante, o trabalho a ampara. “Tenho de trabalhar para sobreviver. Trabalho porque não tenho família para me sustentar”, desabafou.

Vera Lúcia destacou que o envelhecimento requer mudança de papéis na família. Os filhos precisam cuidar da alimentação dos pais, além de ajudá-los em rotinas do cotidiano, como se vestir, e levá-lo com regularidade aos médicos.
Em 2012 a vendedora ambulante, que teve um derrame em 2006 e hoje caminha com o auxílio de muletas, começa a receber a aposentadoria e pretende cuidar da saúde.

Com informações da Agência Brasil.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Rádio Cidade traz Lex Luthor dia 21

A Rádio Cidade FM de Bom Despacho confirmou para o dia 21 de outubro no Sesc Bom Despacho a apresentação da Banda Lex Luthor. Além desta, que é uma das melhores do segmento, o evento também contará com a apresentação do cantor Thales Maia.

De acordo com o diretor da rádio Maurício Reis, a banda Lex Luthor é uma das melhores do Brasil atualmente. "É um presente que estamos dando para Bom Despacho", afirmou.

O evento será realizado pela parceria Rádio Cidade FM e Nelitos promoções. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3522-4198.

Câmara regulamenta lei que apoia as Micro e Pequenas empresas

Na noite de ontem, a Câmara Municipal aprovou o projeto que regulamenta a Lei de Apoio as Micro e Pequenas empresas, uma sugestao do vereador Ricardo Alvarenga e com o aval do Prefeito Haroldo Queiroz.

A Lei Federal de Apoio as Micro e Pequenas empresas  incentiva com redução fiscal, manutenção das mesmas no mercado. Atualmente, no Brasil mais de 90% das empresas são Micro e Pequenas empresas.

A Lei foi aprovada no inicio de 2007, mas somente agora que foi regulamentada pelo município.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Convênios garantem sistemas de esgoto em vários municípios do Vale do São Francisco


O governadorAntonio Anastasia e o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, autorizaram, nesta segunda-feira (3), no Palácio Tiradentes, assinaturas de convênios para a implementação de sistemas de esgoto e construção de módulos sanitários em municípios do Vale do São Francisco.
Os sistemas de esgotamento sanitário serão implantados em 18 municípios e as obras serão realizadas pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). O total de investimentos é de R$ 136,6 milhões, sendo R$ 122,9 milhões repassados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) à Copasa e R$ 13,7 milhões em recursos da própria Copasa. Ao todo, serão beneficiadas 187 mil pessoas.
A Copasa também será autorizada a construir módulos sanitários domiciliares (com vaso sanitário, lavatório, tanque de lavar roupa, chuveiro e ligação para rede coletora de esgoto) e ligações para a rede coletora de esgotamento sanitário em dez cidades, com investimentos de R$ 10,9 milhões, sendo R$ 9,8 milhões da Codevasf e R$ 1,1 milhão da Copasa.
O governador Antonio Anastasia ressaltou os benefícios que a medida e os investimentos trarão, especialmente para o Rio São Francisco, uma das mais importantes bacias hidrográficas do país, geradora de vida e riquezas.  
“O Rio São Francisco é um grande patrimônio brasileiro. Todo trabalho realizado em seus afluentes e nas cidades que estão às suas margens significará melhor qualidade das águas e isso irá servir e atender também a outros municípios que estão fora de Minas, que também são banhados pela Bacia do São Francisco. Minas Gerais é chamado de caixa d’água do Brasil, então temos uma grande responsabilidade de cuidar bem dessa água para nos atender e atender aos outros co-cidadãos brasileiros que precisam dela, especialmente para o abastecimento humano ao longo de todo o Vale do São Francisco. Esses investimentos são fundamentais”, falou durante pronunciamento.
O ministro Fernando Bezerra reafirmou o compromisso do governo federal, em parceria com os estados, em levar saneamento e água tratada a todos os municípios banhados pelo São Francisco. O governo federal, através da Codevasf, investirá mais de R$ 2 bilhões em saneamento básico na Bacia do São Francisco. Segundo ele, o compromisso, até 2014, é de não restar nenhum município na calha do São Francisco, desde a Canastra até a foz, que não esteja 100% saneado. “Eu queria sublinhar a cooperação e o apoio que o Ministério da Integração tem recebido da Copasa, uma grande empresa mineira na área de saneamento. Queremos estreitar cada vez mais essa cooperação com o Governo de Minas e com a Copasa”, afirmou Bezerra.
Anastasia agradeceu a parceria com o governo federal para a execução de importantes políticas públicas no Estado. “O ministro Fernando Bezerra está cada vez mais se creditando como um grande apoiador de Minas Gerais. O nosso agradecimento pelas parcerias que são republicanas e federativas, especialmente para esse tema tão relevante que se refere ao abastecimento, ao saneamento e à produção de riqueza. Temos uma parceria extremamente exitosa com o Ministério da Integração”, disse.
Participaram da solenidade de autorização dos convênios o vice-governador Alberto Pinto Coelho;  o presidente da Codevasf, Clementino de Souza Coelho; o presidente da Copasa, Ricardo Simões; secretários de Estado; deputados federais e estaduais e prefeitos dos municípios contemplados.
Esgoto e água tratada
A Copasa investiu, entre 2003 e 2010, R$ 5,4 bilhões na sua área de concessão, no Estado. Desse montante, R$ 2,4 bilhões foram destinados aos sistemas de abastecimento de água, e R$ 2,7 bilhões na coleta e tratamento de esgotos. Os R$ 300 milhões restantes foram investidos em programas de melhoria e desenvolvimento operacional.
Somente no primeiro semestre de 2011, a Copasa investiu R$ 140 milhões para os sistemas de abastecimento de água e R$ 173 milhões em coleta e tratamento de esgotos. A Copasa presta serviços de abastecimento de água em 618 municípios mineiros e de esgotamento sanitário, em 220 municípios. Possui 115 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) em operação. Outras 78 estão em obras, 34 projetadas e dez ETEs estão em licitação.
Entre junho/2010 e junho/2011, a população beneficiada com os serviços de abastecimento de água aumentou em 435 mil pessoas, alcançando a soma de 13,4 milhões. Os sistemas de esgotamento sanitário apresentaram um avanço maior. A companhia completou 2,01 milhões de ligações de esgoto em junho de 2011, diante de 1,9 milhão, no mesmo mês do ano passado, o que representa aumento de 5,5%.
Dentro da Meta 2010, para a revitalização do Rio das Velhas, o Governo de Minas autorizou a Copasa a investir R$ 259 milhões em ações para a despoluição da Bacia do Rio das Velhas. Desse montante, R$ 239 milhões foram aplicados especialmente para o tratamento de esgoto.
O sistema Rio das Velhas também está recebendo R$ 230 milhões para revitalização e aquisição de equipamentos. Atualmente, o sistema abastece cerca de 2,2 milhões de habitantes na RMBH, aproximadamente 62% da população de Belo Horizonte e 97% da cidade de Sabará.
fonte: Ag.Minas