sexta-feira, 23 de março de 2012

Dr Marco Túlio reage bem a cirurgia

O médico Dr Marco Túlio passou mal no último domingo, 18, e foi levado às pressas para o Hospital Madre Tereza em Belo Horizonte.

Segundo informações, o médico sofria fortes dores de cabeça, momentos antes de passar  mal. O diagnóstico comprovou 2 tumores, um de cada lado do cérebro.

A cirurgia ocorreu no último domingo e durou mais de 6 horas. A operação foi considerada um sucesso, tanto que Dr. Marco Túlio já saiu do CTI e está em um quarto separado.

domingo, 18 de março de 2012

Secretaria de Estado de Educação divulga balanço da paralisação dos professores


As atividades pedagógicas e ações programadas transcorreram dentro da normalidade na grande maioria das escolas da rede estadual de ensino de Minas Gerais nos últimos três dias (14, 15 e 16 de março), período da paralisação nacional convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ensino (CNTE). Levantamentos oficiais feitos pela Secretaria de Estado de Educação (SEE) indicaram o seguinte quadro de paralisação em todo o Estado:

14/03 (quarta-feira): Das 3.779 escolas da rede estadual, 30 pararam totalmente e outras 212 foram afetadas parcialmente pela paralisação, o que corresponde a percentuais de 0,79% e 5,6%, respectivamente. Dos 188.938 professores da rede, 2.187 — ou 1,16% do total — aderiram à paralisação.

15/03 (quinta-feira): Das 3.779 escolas da rede estadual, 55 (1,46%) encontravam-se totalmente paradas e 417 (11%) parcialmente paralisadas. Entre os 188.938 professores, 4.512 (2,39%) aderiram ao movimento convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). As informações estão detalhadas no site oficial da Secretaria de Estado de Educação

16/03 (sexta-feira): Das 3.779 escolas da rede estadual, 32 pararam totalmente e outras 437 foram afetadas parcialmente pela paralisação, o que corresponde a percentuais de 0,84% e 11,56%, respectivamente. Dos 188.938 professores da rede estadual, apenas 4.711 — ou 2,49% do total — aderiram à paralisação.

Ou seja: durante o auge da paralisação mais de 97% dos professores das escolas estaduais de Minas Gerais estavam dentro da sala de aula!

As informações estão detalhadas no site oficial da Secretaria de Estado de Educação e podem ser acessadas por meio do seguinte link:

https://www.educacao.mg.gov.br/imprensa/noticias/2771-mais-de-97-dos-professores-da-rede-estadual-de-minas-trabalharam-normalmente-nesta-quinta-feira)

“O Governo de Minas manteve abertas todas as escolas da rede. Nós respeitamos o direito de greve, mas garantimos as condições de trabalho aos professores que quiseram dar aulas. Além disso, a paralisação nacional foi chamada pelos professores, portanto os demais servidores trabalharam normalmente”, afirma a secretária de Estado de Educação de Minas Gerais, Ana Lúcia Gazzola.

Transparência

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) tem um compromisso de divulgar com rigor e transparência todas as informações relativas à paralisação de professores. A sociedade, em especial as famílias dos alunos da rede pública, tem o direito de conhecer a realidade e o alcance das paralisações. Nesse sentido, causam profunda estranheza os números apresentados oficialmente pela direção do Sind-UTE, dando conta de que 35% das escolas estaduais paralisaram suas atividades nos últimos três dias.

Honrando o compromisso com a transparência e a realidade dos fatos, o governo de Minas reitera que a paralisação atingiu, no seu auge, apenas 2,49% dos professores da rede estadual, e convida o Sind-UTE a apresentar a relação das 1.322 escolas estaduais (que correspondem a 35% do número de escolas) que teriam paralisado suas atividades nos últimos três dias. Informações sobre o funcionamento da rede escolar são fundamentais para milhares de famílias e a sociedade tem direito de saber a verdade.

Ag. Minas