quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Quantidade de chuva afeta mortalidade infantil, diz pesquisa


Variações na quantidade de chuva causam mais mortes em crianças menores de um ano. A afirmação faz parte de uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP. Realizado pela sanitarista Maria Aparecida Rocha, o estudo foi desenvolvido por meio de uma análise espacial do estado de Pernambuco. A constatação é de que, nas regiões onde a incidência da chuva é acima ou abaixo da média, a mortalidade infantil é maior.

Durante o estudo, 122 municípios foram analisados na região semiárida (área seca, com média pluviométrica menor que 800 milímetros ao ano), e 62 na parte não semiárida (locais úmidos, localizada no entorno da capital e com quantidade de chuva acima da média do estado).

A pesquisadora analisou dados dos últimos 11 anos, selecionou os três anos mais chuvosos e a mesma quantidade dos anos mais secos, além de compará-lo com a taxa de mortalidade, disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. "Tanto nos períodos em que choveu menos do que o esperado para a região, quanto nas regiões onde a chuva superou as expectativas, foi maior a taxa de mortalidade", considerou Maria Aparecida à Exame.

Segundo a sanitarista, a chuva tem um papel decisivo na questão. Ela pondera, no entanto, que não é possível afirmar que somente a chuva seja um fator de risco, uma vez que há outro aspectos que influenciam na mortalidade.
O estudo considerou o dado da Organização Mundial de Saúde (OMS) segundo o qual 88% das causas de diarreia são a ingestão de água contaminada. Com base na informação, a pesquisadora defendeu que o excesso de chuva pode ter levado à uma contaminação maior da água.

"Tanto o déficit quanto o excesso podem levar à uma contaminação. Os dados que encontramos foram surpreendentes, mas a literatura do tema já mostrava que uma grande variação no volume de água afetam os níveis de contaminação da mesma", assegurou.

Maria Aparecida pretende apresentar o estudo à Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco com o objetivo de auxiliar as regiões com situações mais críticas.

portal Eco

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Pátio de Veículos pega fogo em Bom Despacho


O incêndio aconteceu por volta das 23h da noite da última segunda-feira, 13, em Bom Despacho. Segundo o proprietário, cerca de 100 veículos foram queimados, a maioria deles  oriundos de apreensões feitas pela polícia. O pátio está localizado no bairro Babilônia.

De acordo com o BO enviado a redação do Jornal Fique Sabendo, a unidade do Corpo de Bombeiros de Nova Serrana foi acionada para conter o incêndio, que já estava causando graves danos. Uma família, que morava próximo ao local, teve que ser removida.

A maioria dos veículos eram  modelos antigos e apresentavam mal estado de conservação.  

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

PEDREIRO ENCONTRA MAIS DE MEIO QUILO DE CRACK EM CONSTRUÇÃO


Na manhã do dia 03 de Agosto de 2012, quando um pedreiro trabalhava em uma construção no Bairro Novo São Vicente encontrou nos fundos da construção um invólucro contento uma substância estranha. Ao acionar a Polícia Militar foi confirmado tratar-se aproximadamente 580 (quinhentos e oitenta) gramas de crack.
A droga foi recolhida e repassada à Autoridade de Polícia Judiciária de plantão, para demais investigações, haja vista que o invólucro da droga é bastante semelhante a que recentemente foi apreendida nas imediações com outros autores e armas. Demais viaturas continuam no rastreamento dos possíveis autores e quaisquer informações a respeito do proprietário da droga encontrada ou dos supostos autores podem ser repassadas à PMMG através do número 190 ou 181, sem que haja necessidade de se o informante se identifique.


Assessoria de Comunicação Organizacional – 7º BPM.