sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Buracos reaparecem nesta época do ano


Buracos na Av. Governador Valadares.
Os bondespachenses sabem que  quando chega dezembro, há possibilidades de  chuvas e com isso surgem  buracos nas ruas. Em inúmeras vias, existem crateras por todos os lados. As avenidas Dr.  Juca e Amazonas são as que apresentam o maior número deles.
          
Na Avenida Governador Valadares no bairro São Vicente, por exemplo, os buracos obrigam os motoristas a  fazerem manobras de risco. Próximo a Escola Dona Duca existem buracos com mais de 1,5m de dimensão.
          
De acordo com  a prefeitura, ainda não existe nenhum projeto para Operação Tapa Buracos na cidade para este ano. Como está no fim de gestão, o município poderá fazer  esta obra somente em 2013. 

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

85% dos brasileiros separariam o lixo se coleta seletiva estivesse disponível


Portal Eco


A maioria (85%) dos brasileiros que ainda não conta com coleta seletiva estaria disposta a separar o lixo em suas casas, caso o serviço fosse oferecido nos municípios, aponta pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 28 de novembro, pelo Programa Água Brasil. Apenas 13% dos entrevistados declararam que não fariam a separação dos resíduos e 2% não sabem ou não responderam. O estudo, encomendado ao Ibope, entrevistou 2.002 pessoas em todas capitais e mais 73 municípios, em novembro do ano passado.

Apesar da disposição em contribuir para a destinação adequada dos resíduos sólidos, o percentual dos que não têm meios para o descarte sustentável chega a 64% dos entrevistados. A quantidade de pessoas que contam com coleta seletiva ou que têm algum local para deixar o material separado representa 35% da amostra.

Consumo

Em relação aos produtos que costumam ser separados nessas casas, as latas de alumínios ficam em primeiro lugar, com 75%, seguidas pelos plásticos (68%), papéis e papelões (62%) e vidros (55%). Os eletrônicos, por outro lado, são separados por apenas 10% dos entrevistados. Cerca de 9% dos entrevistados não separam nenhum material mesmo que o serviço de coleta seletiva esteja implantado na sua região.
Dos que contam com o serviço de coleta seletiva, metade (50%) dos casos tem a prefeitura como responsável pelo trabalho. Catadores de rua (26%), cooperativas (12%) e local de entrega (9%) aparecem em seguida dentre os meios de coleta disponíveis.

O estudo aponta também que a proposta de uma tarifa relaciona ao lixo divide opiniões. A ideia de que quem produz mais resíduos deve pagar uma quantia maior é aprovada completamente por 13% dos entrevistados, 23% concordam parcialmente. Os que discordam completamente a respeito do pagamento da taxa somam 36%. Há ainda os que não concordam, nem discordam (16%) e os que discordam em parte, com 10%.

Na hora de consumir, práticas sustentáveis ainda são deixadas de lado. Preço, condições de pagamento, durabilidade do produto e marca lideram as preocupações do consumidor brasileiro. O valor do produto, por exemplo, é considerado um aspecto fundamental por 70% dos entrevistados. Características do produto ligadas à sustentabilidade, no entanto, como os meios utilizados na produção, o tempo que o produto leva para desaparecer na natureza e o fato de a embalagem ser reciclável, ficam em segundo plano.

Fim da sacolinha?

Os entrevistados responderam ainda quais produtos devem ser menos usados em suas casas nos próximos três anos. O campeão foi a sacola plástica. O produto é comprado com frequência em 80% das residências, mas 34% dos entrevistados esperam reduzir o consumo. Em seguida aparecem os copos descartáveis (31%), bandejas de isopor (22%) e garrafas PET (21%). No fim da lista, entre os que devem permanecer com alto percentual de consumo, estão os produtos de limpeza perfumados. Apenas 9% estimam que irão reduzir o uso desses materiais.

O Programa Água Brasil é uma iniciativa do Banco do Brasil, da Fundação Banco do Brasil, da Agência Nacional de Águas (ANA) e da organização não governamental WWF-Brasil, com intuito de fomentar práticas sustentáveis no campo e na cidade.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Cemig alerta para perigos de acidentes com raios no Estado


A alta incidência de raios durante o período chuvoso é um risco à segurança da população e para o fornecimento de energia para os consumidores na área de concessão da Companhia Energética de Minas Gerais – Cemig. As chuvas mais intensas, desse período que se estende até abril, vão ocorrer entre novembro e janeiro, quando o volume pluviométrico deve ser 40% maior do que a média histórica.

Outro alerta é para a ocorrência de temporais que ocorrem nesse período do ano. De acordo com o meteorologista da Cemig Arthur Chaves, as pancadas de chuva são repentinas e intensas.

“Uma situação que pode parecer segura, muda de uma hora para  outra. Nos anos anteriores, chegou a chover 150 milímetros em um único dia, sendo que cada milímetro equivale a um litro de água por metro quadrado. Não será surpresa se isso acontecer. Por isso, devemos estar preparados”, afirma.

Minas Gerais é um dos Estados que mais registram a ocorrência de raios por ano. Atualmente, Minas tem média anual de 1,1 milhão de descargas atmosféricas.

O gerente de segurança do trabalho, saúde e bem-estar da Cemig, João José Magalhães Soares, destaca alguns procedimentos básicos que devem ser adotados durante as tempestades. Segundo o especialista, todos os equipamentos elétricos devem ser desplugados das tomadas, evitando risco de queima ou contra a segurança das pessoas. “Durante as chuvas, o raio pode cair na rede elétrica e pode chegar às residências por meio da fiação, podendo atingir os moradores”, salienta.

Outro ponto importante é que, durante períodos de rajadas de ventos e descargas atmosféricas as antenas de TV podem se desregular. Se isto acontecer, nunca suba nos telhados para ajustá-las, pelo risco de queda, de choque elétrico e de ser atingido por um raio.

Se for preciso falar com alguém por telefone, durante as tempestades, ressalta que a melhor opção é o celular, desde que não plugado na tomada, ou o telefone sem fio, porém nunca sobre lages ou em locais descampados.

João José Magalhães alerta para os danos que as descargas elétricas podem provocar no corpo humano. “O raio provoca queimaduras gravíssimas e pode provocar parada cardiorrespiratória, que pode levar a pessoa à morte”, destaca.

Ressarcimento de aparelhos

A Cemig recebe cerca de 25 mil solicitações de ressarcimentos todos os anos, que são criteriosamente analisados. Os ressarcimentos realizados por danos em aparelhos elétricos estão regulamentados Resolução Normativa 414/2010 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O superintendente de Relacionamento Comercial com Clientes de Distribuição, Ricardo Rocha, explica o que os consumidores devem fazer quando tiverem um eletroeletrônico danificado durante a tempestade.

“Para fazer um pedido de ressarcimento, o consumidor deve acionar a Cemig por meio da agência virtual (www.cemig.com.br), presencialmente em uma das agências de atendimento ou ainda pelo telefone 116, em um prazo de até 90 dias após o dano. Nesse contato, o consumidor deve informar qual equipamento foi danificado, marca e modelo do produto e a data e a hora do ocorrido. Quem pode fazer esse pedido é o próprio titular da conta de energia e ele precisa, também, ter em mãos o número de cliente e da instalação, a carteira de identidade e o CPF”, esclarece.

Segundo estabelece a Aneel, a Cemig tem até 15 dias para analisar se o dano do aparelho foi provocado em decorrência de um problema na rede da Companhia e enviar carta resposta ao cliente. Em caso positivo, o cliente deverá fazer o orçamento de conserto do equipamento em uma oficina e encaminhá-lo para a Cemig. Após a análise do orçamento e sendo deferido, a Cemig tem 20 dias corridos para realizar o ressarcimento para o cliente, por meio de depósito em conta ou o conserto do aparelho.

“A Cemig tem uma série de sistemas que consegue nos mostrar o paralelo existente entre as tempestades e o horário informado pelo cliente. Por exemplo, o sistema localizador de tempestades mostra onde e quando caiu um raio em toda a extensão do Estado. Temos, perfeitamente, como identificar se o dano causado pelo equipamento aconteceu em função da rede elétrica ou de uma descarga atmosférica”, comenta.

Ainda segundo estabelecem as normas da Aneel, a Cemig deve ressarcir apenas danos de natureza elétrica em equipamentos, causados por problemas pelas redes própria da Empresa.



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Copa Jornal Fique Sabendo tem seus finalistas definidos

Neste último final de semana, a Copa Jornal Fique Sabendo de Juvenil e Juniores conheceu os seus finalistas. A definição ocorreu após a realização do confronto entre Recreativo x Cristalino no distrito do Engenho do Ribeiro. 

Na categoria juvenil, o Cristalino garantiu a vaga após golear o Recreativo por 5 a 0 e agora enfrenta o Abadia  na final. Pela categoria juniores, o Recreativo irá disputar o título depois de vencer  por 3 a 1 o Colorado do Bairro São Vicente, mesmo adversário da final. 

Como a  decisão será em duas partidas por categoria, haverá o último jogo da fase classificatória do torneio, agendado para o próximo sábado em Martinho Campos entre Abadia x Recreativo. Este confronto definirá o mando das finais.

A Copa Jornal Fique Sabendo de Juvenil e Juniores é um projeto social do Jornal Fique Sabendo, em parceria com o árbitro e ex-presidente da Liga Municipal Tiago Sabino Jr. O torneio recebe o apoio dos vereadores Ricardo Alvarenga, Pedro Paulo, do promotor de esportes Pedro Paulo Pontes, MM Lanches, Auto Escola Bondespachense e Piso Parede.