Asfalto permeável é desenvolvido para evitar enchentes

Portal Ecodesenvolvimento
cpa, camada porosa de asfalto sendo instalada
CPA sendo instalada/Foto: USP

Pelo menos em parte do estacionamento da USP parece que não teremos mais problemas com as enchentes. A CPA, Camada Porosa do Asfalto, desenvolvida por uma equipe do Departamento Hidráulico da Universidade foi instalada e já está absorvendo as águas das chuvas na região.

Não há mais como jogar para “debaixo do asfalto” a grande quantidade de enchentes que tem acontecido no Brasil. Desastre na região Serrana, chuvas alarmantes em Mato Grosso e Santa Catarina, tudo isso vem acarretando efeitos negativos para as cidades brasileiras.

Dessa maneira, uma alternativa eficaz para esse problema pode ser a implementação do asfalto permeável. Para o pesquisador e criador do projeto, José Rodolpho Martins, é possível utilizar a CPA nas grandes cidades brasileiras e, aos poucos diminuir o número de enchentes no país.

Como funciona

O asfalto permeável é constituído de camadas. A parte mais superficial, a pista, é composta de pequenas pedras ligadas ao asfalto. Mais internamente aparece uma camada grossa com pedras grandes, que abrem espaços de 25% na camada, para que a água, vazada das pequenas pedras, fique armazenada. Após algumas horas, a água da chuva é sugada por um sistema de drenagem e se encaminha para as galerias pluviais.
Esta técnica, que pode minimizar ou até acabar com as conseqüências negativas geradas pelas enchentes, tem um único malefício: “pesa no bolso” dos governos. A instalação de todo o sistema custa 25% a mais do que o asfalto comum.
As informações são do Planeta Sustentável.

Comentários