sábado, 14 de setembro de 2013

OPERAÇÃO CONJUNTA ENTRE POLÍCIA MILITAR E POLÍCIA CIVIL EM BOM DESPACHO

            
   No dia 12 de setembro de 2013, na cidade de Bom Despacho, foi desencadeada uma operação conjunta entre a Polícia Militar e a Polícia Civil abrangendo toda área territorial da cidade.

       Participaram da operação militares do 7º Batalhão com apoio do canil de Divinópolis, militares do meio ambiente e trânsito e policiais civis, totalizando-se o emprego de 60 pessoas. 

       Os resultados foram muito satisfatórios sendo 05 pessoas presas , apreendidos 14 cartuchos calibre .36 recarregados, 02 cartuchos calibre .20 e .36 deflagrados, 01 balança de precisão, 10 motores de barcos, R$ 1.091,00 em dinheiro, 01 aparelho de telefonia celular, 01 pássaro da fauna silvestre, 01 rede de pesca e chumbos para munição, 01 pedra de crack, 01 papelote de cocaína, 01 touca ninja, 02 veículos dentre outros objetos. 

     A operação causou um grande impacto na segurança subjetiva da cidade, pois foi empenhado grande número de policiais militares, civis e um aparato logístico. O principal objetivo foi priorizar o cumprimento de mandados de busca e apreensão, mandados de prisão e a verificação de denúncias realizadas através do Disque Denúncia Unificado – 181.



Assessoria de Comunicação Organizacional - 7º BPM

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Sete passos para economizar na hora de lavar roupas

Lavar roupa é uma atividade que requer cuidados, pois implica no gasto de grande quantidade de água, energia e tempo. Para evitar todos esses desperdícios, o EcoD listou sete dicas de como economizar nesta prática tão presente na vida das donas de casa. Conheça:


1. Usar mais de uma vez
A roupa não suja de modo instantâneo. Algumas peças, como casacos e calças jeans, podem ser utilizadas mais de uma vez antes de irem para a máquina de lavar. Por isso, avalie as condições das peças antes de jogá-las no cesto de roupa suja e veja se não dá para usá-las mais uma vez.
cesto.jpg
Foto: Sean Freese
2. Planeje as lavagens
Além de analisar o estado das roupas, tente planejar sua lavagem de forma que você possa atingir as cargas completas da máquina de lavar. Ligar este eletrodoméstico uma vez por semana, a depender da quantidade de pessoas que moram na casa, pode ser um bom negócio. Com isso, é possível poupar energia, água (nos caso das máquinas de lavar roupa e louça) e produtos químicos que geralmente são utilizados junto com esses equipamentos.
fria.jpg
Foto: Chris Dillon
3. Água fria
Faça uso de água fria para a limpeza das roupas. É verdade que a água quente pode eliminar a sujeira das roupas de maneira mais fácil e rápida, mas, às vezes, a água fria pode fazer o mesmo. Por isso, evite gastar energia para aquecer a água, invista um pouco mais de tempo para lavar os tecidos com água fria.
molho.jpg
Foto: Secom-BA
4. Roupas de molho
Em vez de usar a tecla “pré-lavar” de sua lavadora, deixe suas roupas de molho dentro de um balde. O efeito é o mesmo e você economizará uma quantidade enorme de energia elétrica e água.
Depois de lavar as roupas, aproveite a água em que estavam de molho e use-a para lavar o quintal ou limpar a calçada. Você aproveita a água, que está praticamente limpa, e deixa de usar centenas de litros desnecessariamente.
5. Máquinas de lavar
Procure uma máquina de lavar roupa que vem com um ciclo de centrifugação prolongada. Ele pode extrair muito mais água de suas roupas em uma boa velocidade. Como resultado, é possível secar as peças no secador em um tempo mais curto e reduzir o consumo de energia, em certa medida. Ou até mesmo secas as roupas ao ar livre.
Além disso, se suas roupas não estiverem muito sujas, prefira usar o modo "suave" da máquina de lavar. Dessa forma, o motor trabalhará menos e você também poupará energia.
6. Retirar roupas da máquina
As roupas esquecidas na máquina de lavar ficam muito amassadas, exigindo mais trabalho e tempo para passar. Com isso, o ferro acaba consumindo muito mais energia elétrica. Por isso, lembre-se de tirar as roupas da máquina assim que a lavagem acabar.
varal.jpg
Foto: Susy Morris
7. Pendure as roupas no varal
Depois de lavar, retire as roupas da máquina e pendure-as em um varal, em vez de colocá-las na secadora. O uso desse tipo de máquina durante seis meses pode significar a emissão de 317 quilos de gás carbônico na atmosfera, além de um alto consumo de energia.
Por isso, prefira o método natural. Encontre um lugar bem arejado e onde bata sol, e monte ali seu varal. Além de gastar menos eletricidade, você ainda evita estragar suas roupas.

Prefeitura começará recolher animais na segunda-feira

foto: Ac/Prefeitura de BD.
A Prefeitura Municipal de Bom Despacho começará a partir de segunda-feira, 16, a Operação Arca de Noé. O objetivo é recolher os animais que trafegam pelas ruas da cidade. 

De acordo com o Executivo, haverá apreensão de animais de pequeno e grande porte. A medida ainda é educativa, e o animal recolhido será entregue ao dono sem nenhum custo. Caso seja novamente apreendido, será cobrado diária e o proprietário pagará multa. 

Se o animal não for procurado pelo dono, o animal será leiloado pela Prefeitura. 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Agricultura nacional pode sofrer prejuízo anual de R$ 7 bilhões com mudanças climáticas


 cafe-ecod.jpg
Plantação de café em Guaxupé, no inteiror de Minas Gerais
Foto: Danilo Trombela

Portal Ecodesenvolvimento

A vazão de importantes rios do país (como o Tocantins) e o abastecimento de lençóis freáticos, responsáveis pelo fornecimento de água potável para a população, poderão ser comprometidos se a temperatura subir até 6 ºC nas próximas décadas e o volume de chuvas diminuir, conforme cenário do primeiro relatório de avaliação elaborado pelo Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC), divulgado na segunda-feira, 9 de setembro, em São Paulo.

O documento, que considera que os níveis de emissões de gases causadores de efeito estufa permaneçam altos, alerta que a agricultura e o setor de energia do Brasil poderão ser fortemente impactados, sob risco de queda brusca do Produto Interno Bruto (PIB) e constantes crises que envolvem o abastecimento energético e de segurança alimentar.

Dividido em três volumes, o documento feito por 350 cientistas de diversas instituições conta com dados coletados com a ajuda do Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre, primeiro sistema nacional de simulação do clima global, que incluiu características detalhadas do Brasil e do continente sul-americano neste tipo de modelagem.
Os cientistas afirmam que o relatório não representa "o fim do mundo”. No entanto, advertem que, se a situação atual de emissões de gases permanecer e nada for feito pelo governo para prevenir eventos naturais extremos, a situação pode se agravar.

Perda de produtividade

Estudos utilizados pelo painel brasileiro para elaborar o relatório de avaliação apontam que as mudanças climáticas reduzirão a produtividade de quase todas as culturas agrícolas existentes no país atualmente. A previsão de perdas econômicas causadas por geadas e secas na agricultura gira em torno de R$ 7 bilhões anuais até 2020.
Previsões científicas apontam que, se nada mudar no cenário de emissões, nos próximos sete anos o plantio de soja perderia 20% de sua produtividade e 24% até 2050. Até este mesmo ano, a área plantada de arroz no Brasil pode retroceder 7,5%, a de milho 16% e o cultivo de algodão pode decrescer 4,7%. A safra de laranja também poderá ser prejudicada por doenças prejudiciais ao fruto.

O pesquisador da Embrapa e coordenador do volume que trata sobre Impactos, Vulnerabilidades e Adaptação às mudanças climáticas, Eduardo Assad, afirmou ao portal G1 que o café-arabica, importante variedade cultivada no país, também poderá sofrer com o calor. Plantado principalmente na região Sudeste (Minas Gerais lidera a produção), este grão não conseguirá se desenvolver em temperaturas acima de 34 ºC, oferecendo risco à expansão da cultura.

Variedades mais resistentes

Estima-se que até 2050 o clima influencie na perda de 10% de tudo o que for plantado no país. “A alternativa será trabalhar com variedades de café que tenham mais tolerância ao calor”, explica Assad. Apesar dos riscos à agricultura, ele comenta que o setor é o que tem planos de adaptação e mitigação mais avançados até o momento.
Em contrapartida, o calor pode beneficiar a cana-de-açúcar, planta muito resistente ao calor e à seca. A principal mudança no cultivo de cana ocorreria em São Paulo, onde haveria "transferência" da produção da região oeste para o leste do estado.

Os cenários mais pessimistas do estudo apontam que:
  • agricultura pode perder até R$ 7 bilhões por ano com o clima;
  • queda na produtividade do café, soja, arroz e outras culturas;
  • redução de chuvas no Norte e Nordeste; aumento no Sul e Sudeste, com risco de inundações;
  • risco para o abastecimento das águas subterrâneas;
  • em todo o litoral, volume de pesca pode cair 6% em 40 anos.


terça-feira, 10 de setembro de 2013

Dr. Fernando anuncia verba de R$ 100 mil para Bom Despacho



O vereador Dr. Fernando Lamounier (PHS), atual presidente da Câmara Municipal, anunciou nesta segunda-feria, 09, no plenário, que Bom Despacho receberá uma verba de R$ 100 mil para serem aplicados na saúde, além de mais um veículo  de R$ 35 mil também destinado para o setor. 

De acordo com o parlamentar, o recurso virá através de uma emenda do Deputado Federal Dr. Grillo (PSL). Dr. Fernando destacou sobre a necessidade do município investir mais na saúde, que sofre muito de precariedades no momento. 

Segundo o vice-prefeito Dr. Sérgio Cabral, ex-secretário municipal de saúde, a frota de veículos do setor  está muito sucateada. 

Ambulância

Já nesta legislatura, o vereador Dr. Fernando Lamounier conseguiu uma ambulância, através do Deputado Estadual Fabiano Tolentino. O veículo está sendo utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde. 

domingo, 8 de setembro de 2013

Prefeito fala sobre o caso do Expresso Lanches


O prefeito Fernando Cabral (PPS) concedeu uma entrevista ao blog do radialista Rosemberg Rodrigues para falar sobre o estabelecimento comercial Expresso Lanches. Na última sexta-feira, 06, fiscais da Prefeitura estiveram no local para remover o comércio, que segundo o Executivo, funciona de forma ilegal.

De acordo com a  Prefeitura, o estabelecimento funciona em terreno público e não paga aluguel. A juíza Sônia Tavares de Azevedo concedeu uma liminar em desfavor do Município, o que impossibilitou o serviço de remoção do Expresso Lanches.

A ação da prefeitura gerou inúmeros comentários da rede social Facebook.