sábado, 28 de dezembro de 2013

Prefeitura divulga resultado final do Processo Seletivo

CONVOCADOS DEVEM APRESENTAR-SE NA 2ª FEIRA, DIA 30 DE DEZEMBRO
processo-seletivo13[1]A Prefeitura publicou nesta sexta-feira, em edição extra do Diário Oficial Eletrônico do Município (DOMe), a homologação dos resultados do Processo Seletivo 006/2013.
Na mesma edição, o DOMe trouxe também a lista de candidatos aprovados nos Processos Seletivos 004/2013, 005/2013 e 006/2013 que foram convocados para apresentarem os documentos necessários à sua contratação.
Os convocados devem apresentar-se segunda-feira, dia 30/12, na Escola de Formação dos Servidores (Rua Picão Camacho, 500 – Bairro Ozanam), das 8 às 12 e de 13 às 17 horas.

fonte: www.bomdespacho.mg.gov.br

Uso de fogos de artifício nas festas de Ano Novo pode causar graves acidentes

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) oferece orientações para o correto manuseio e utilização segura dos artefatos no réveillon


Carlos Alberto/Imprensa MG
Seguir as instruções do fabricante e acionar os fogos em áreas abertas são algumas das recomendações
Seguir as instruções do fabricante e acionar os fogos em áreas abertas são algumas das recomendações
Download
No período de festas de fim de ano, o Hospital João XXIII (HJXXIII), da Rede Fhemig, referência estadual para o tratamento de queimaduras, registra um aumento de 12% a 15% do número de atendimentos e de 8% a 10% das internações em razão de acidentes com fogos de artifício. 
 
O Serviço de Queimados do HJXXIII recebe, a cada ano, dezenas de pessoas, entre crianças, homens e mulheres, vítimas de ocorrências ligadas ao manuseio desses artefatos. Segundo o chefe do Serviço de Cirurgia Plástica e Queimados do hospital, Carlos Eduardo Guimarães Leão, 43% das vítimas de queimaduras (por vários agentes, inclusive por fogos de artifício) são crianças de zero a dez anos de idade. Por isso, todo cuidado é pouco, especialmente agora, com a proximidade das comemorações de virada de ano.
 
Manuseio incorreto
 
O foguete de mão é o que mais causa acidentes. Ele provoca queimaduras de terceiro grau e pode, até mesmo, causar a perda de membros. Além disso, também pode acontecer a laceração dos dedos, mãos e rosto. Dentre as principais causas das ocorrências envolvendo os fogos de artifício está o manuseio incorreto. É comum as pessoas não seguirem as instruções dos fabricantes e não verificarem a procedência desses artigos, assim como, frequentemente, estarem alcoolizadas. Outro fator determinante para que haja acidentes é a manipulação dos fogos pelas crianças ou a sua presença ou participação durante o acendimento dos artefatos.
 
Cuidados
 
É fundamental para a segurança que o explosivo somente seja acionado em áreas abertas. Outro cuidado importante é não colocar um foguete sobre o outro. No caso de acidentes, a parte afetada deve ser lavada em água corrente e coberta com um pano limpo umedecido em água fria. Em nenhuma hipótese, deve ser usada outra coisa que não seja água corrente. A vítima precisa ser encaminhada, imediatamente, ao atendimento médico através do acionamento do SAMU pelo telefone 192 ou do Corpo de Bombeiros pelo 193.
 
Dicas para soltar fogos de artifício com segurança
 
• Nunca permita que crianças soltem fogos;
• Não compre fogos de artifícios clandestinos porque eles não são testados;
• Compre os modelos que vêm com uma base para o encaixe em suporte ou use uma extensão. Não olhe para cima quando o foguete estiver sendo disparado;
• Antes de acendê-los, siga, rigorosamente, as instruções do fabricante;
• Não utilize fogos após ingerir bebidas alcoólicas;
• Nunca solte fogos em locais com grande concentração de pessoas;
• Jamais lance fogos na direção de outras pessoas;
• Nunca faça experiência, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício;
• Solte fogos longe de residências. No mínimo, a 100 metros de distância;
• Não solte fogos perto de hospitais, postos de combustíveis, aeroportos e fiações;
• No caso de os fogos não estourarem, jamais tente reaproveitá-los.

Ag. Minas

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Portaria ministerial confirma liberação de recursos para santas casas



Alex Rodrigues 
Repórter Agência Brasil 
Brasília – O Ministério da Saúde confirmou a liberação de R$ 1,6 bilhão para as santas casas e demais entidades filantrópicas de 23 das 27 unidades da Federação. Segundo o ministério, os recursos deverão beneficiar 762 instituições filantrópicas de 604 cidades, dobrando o montante repassado pelo governo federal para que essas unidades atendam a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). 
Do total, R$ 400,6 milhões deverão ser liberados em três parcelas de R$ 133,5 milhões. A primeira delas será paga até 31 de dezembro deste ano, conforme a Portaria nº 3.166, publicada no Diário Oficial da União dessa segunda-feira (23). As outras duas parcelas serão liberadas ao longo de 2014. 
Para viabilizar o pagamento dos incentivos financeiros aos estabelecimentos de saúde que prestam serviços complementares ao SUS, o ministério elevou de 26% para 50% o percentual mínimo do Incentivo de Adesão à Contratualização (IAC) pago aos estabelecimentos filantrópicos.
Também estendeu a possibilidade de contratos a novas instituições, atualizou os contratos antigos e reforçou o pagamento de procedimentos de média complexidade, que incluem exames como raio X, testes laboratoriais e consultas de várias especialidades, como oncologia, urologia e oftalmologia. Parte das medidas já tinha sido anunciada e detalhadas pelo ministro Alexandre Padilha, em outubro. 
A expectativa é  que essas medidas permitam ampliar a participação das santas casas e demais entidades filantrópicas no atendimento prestado à população. Atualmente, 1.700 hospitais filantrópicos prestam serviços ao SUS, respondendo por 41% das internações em estabelecimentos públicos. A maioria das instituições, no entanto, acumula dívidas históricas, principalmente tributárias. 
Foi para tentar ajudar as entidades a pagar suas dívidas e sanar suas finanças que o governo anunciou o ProSUS. Criado em junho deste ano, o programa de apoio financeiro busca auxiliar as instituições em má situação a pagar o que devem e sanar as finanças em no máximo 15 anos. Em contrapartida, os hospitais devem ampliar o atendimento de exames, cirurgias e atendimentos a pacientes do SUS. 
Entre 2011 e 2012, os incentivos pagos pelo governo federal aos principais hospitais filantrópicos para atendimento a usuários do SUS passaram de R$ 340 milhões para R$ 968,6 milhões.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Carro com placa de Bom Despacho é suspeito de provocar um acidente na MG 050 em Divinópolis


acidente 050 Divinópolis (Foto: Cleber Corrêa/G1)
foto Portal G1
Um carro com placa de Bom Despacho pode ter sido o responsável por um acidente ocorrido na MG 050,  no último domingo, dia 22, em Divinópolis-MG. De acordo com reportagem da TV Integração, o veículo bateu numa ambulância que transportava um paciente para Belo Horizonte. 

Segundo a Polícia Rodoviária Militar, o motorista fugiu do local assim que ocorreu o acidente. Uma idosa morreu e outras quatro pessoas ficaram feridas. "Tentei evitar, mas não consegui", disse o motorista da ambulância. 

O carro foi um  Gol de cor prata, placa GZI 0029 de Bom Despacho, e estava com licenciamento vencido. 


domingo, 22 de dezembro de 2013

Operação Divisas Seguras prende 34 pessoas em Minas Gerais

Durante a operação nesta quinta-feira, mais de 6 mil veículos foram abordados nas estradas
Trinta e quatro pessoas foram presas na noite de quinta-feira (19) durante a nona edição da Operação Divisas Seguras, que fiscalizou cerca de cem pontos de rodovias estaduais e federais em praticamente todas as regiões do Estado. O objetivo foi fazer um cerco à entrada de drogas, armas, explosivos, automóveis roubados e outros materiais ilícitos e irregulares em Minas Gerais.
Quase 9 mil pessoas e mais de 6 mil veículos foram abordados na ação, que contou com um efetivo de 1.093 agentes de segurança. “As fiscalizações são realizadas de forma integrada e têm como foco a prevenção à criminalidade” afirmou a secretária de Estado Adjunta de Defesa Social, Cássia Gontijo.
Um total de 5.632 munições, 17 armas de fogo, 11 flechas e cinco silenciadores foram apreendidos, além de 255 gramas de crack, 20 quilos e nove buchas de maconha e 38 dolas e 358 gramas de cocaína. Mais de 700 galões de água mineral com notas fiscais falsas ficaram retidos.
A Operação Divisas Seguras ainda apreendeu 78 automóveis que circulavam de forma irregular, cinco carteiras de habilitação (CNH) e 15 documentos de licenciamento de veículo (CRLV). Ao todo, foram aplicadas 349 multas. Dois autos de infração de meio ambiente ainda foram lavrados.
Balanço
Desde quando as fiscalizações começaram, em março deste ano, 90 mil pessoas e 60 mil veículos foram abordados. Mais de 350 prisões aconteceram. Já foram apreendidos 300 quilos de explosivos, mais de uma tonelada de maconha, 169 pedras de crack, 37 armas de fogo, 5.866 munições, 1.119 pares de calçados, oito mil telhas, 860 estacas de eucalipto, uma tonelada de queijo, 289 produtos eletrônicos diversos e mais de duas mil mídias de CD e DVD, avaliadas em R$ 60 mil, entre outros materiais.
A Operação Divisas Seguras é realizada de forma integrada entre a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), as polícias Militar e Civil de Minas Gerais, o Corpo de Bombeiros Militar, a Receita Estadual, a Receita Federal, o Ministério Público, a Polícia Rodoviária Federal e os Estados de São Paulo e Goiás.
Ag. Minas

Vigilância Sanitária entrega medicamentos apreendidos em 2013

remédios cópia




Durante o ano de 2013 a Vigilância Sanitária fez apreensão de medicamentos ilegais e realizou ontem, (19), a entrega para coletora de resíduos de serviços de saúde. Esse ano foi apreendida uma alta quantidade de medicamentos irregulares. A maioria era comercializada em locais inadequados e sem autorização. Também foram apreendidos em drogarias, medicamentos manipulados, que só podem ser vendidos em farmácias de manipulação.
O comércio ilegal facilita o acesso das pessoas a estes produtos que devem ser utilizados com precaução. Os medicamentos clandestinos oferecem risco à saúde por não serem inspecionados e podem não ter o efeito desejado.
Os medicamentos apreendidos foram coletados pela empresa Ambientec, contratada pela Prefeitura para tratar e destinar os resíduos de serviços de saúde. Foram apreendidos ao todo 114,520 kg de produtos. Eles serão incinerados pela empresa de acordo com as normas ambientais para esta atividade.

fonte: www.bomdespacho.mg.gov.br