sábado, 8 de março de 2014

Começa nesta segunda-feira campanha de vacinação contra HPV

Nanna Pôssa

 
 A distribuição gratuita de vacinas contra o HPV é para meninas de 11 a 13 anos de idade na rede pública. A vacina é recomendada pela Organização Pan-Americana de Saúde. Para o primeiro ano de campanha, o Governo Federal adquiriu 15 milhões de doses. Em 2015, a vacina passa a ser oferecida para as adolescentes de nove a 11 anos e, em 2016 para  meninas de nove anos.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Câmara faz reunião itinerante no salão do Rotary no dia 10 de Março

Reunião Itinerante no Engenho do Ribeiro em 2013.

Em 2014, a Câmara Municipal de Bom Despacho voltará  a realizar reuniões itinerantes em alguns lugares da cidade. No ano passado, por exemplo, os Distritos do Engenho do Ribeiro e  Mato Seco e também a comunidade do Bairro São Vicente  assistiram os debates e as discussões da casa. 

No próximo dia 10, os vereadores irão fazer uma reunião no Salão do Rotary Clube, a partir das 19 horas. Tudo leva a crer que a sessão deverá contar com bastante gente, pois a entidade tem um grande número associados atualmente. 

O evento iria ser realizado no Salão da Associação Comunitária do Bairro São José e Adjacentes, mas será realizado no Salão do Rotary em virtude da comemoração da Semana do Rotaract Clube, grupo que representa os jovens da entidade. 

O evento é aberto para todos que quiserem acompanhar as votações e os debates do vereadores. 

quarta-feira, 5 de março de 2014

Pagamento do IPTU é prorrogado



Valores poderão ser pagos à vista, até o dia 31 de março


O prazo para pagamento à vista o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) foi prorrogado para o dia 31 de março. Até a data, o contribuinte receberá 5% de desconto no valor à vista.

Os interessados em parcelar o imposto têm até o dia 11 de março para efeturar o primeiro pagamento. O cidadão poderá optar por dividir entre duas e cinco vezes, ou ainda em 10 parcelas.

Os valores arrecadados com o IPTU serão revertidos em benefícios para toda a população, nas áreas de saúde, educação, segurança e infraestrutura.

Mais informações no setor de Cadastro da Prefeitura, 3521-4231.

fonte:www.bomdespacho.mg.gov.br

MEC muda algumas regras do ProUni e do Fies

Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto
O Ministério da Educação (MEC) mudou este ano algumas regras do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). No Fies, o contrato passa a ser casado ao Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (Fgeduc), antes opcional. No ProUni, a isenção fiscal passa a ser feita com base nas vagas preenchidas e não mais nas vagas ofertadas, como era até o fim do ano passado.

O Fgeduc existe desde 2009. O fundo cobre a partir de 80% dos contratos não cumpridos. Para isso, a mantenedora paga uma taxa de 5,63% sobre o total do financiamento mensalmente, ou 6,25% da parcela das operações de financiamento. Sem o Fgeduc, caso o estudante ficasse inadimplente, a instituição pagava 15% do valor.

Para os estudantes, a adesão ao Fgeduc faz com que seja dispensada a necessidade de fiador, o que facilita a contratação do Fies. Para as instituições, os custos aumentam, mas segundo entidades do setor, os dois programas ainda são atrativos. Procurado, o Tesouro disse que não comentaria o impacto nas contas públicas.

O diretor de Gestão de Fundos e Benefícios do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Antônio Corrêa Neto, disse que cerca da metade das instituições já tinha aderido ao Fgeduc. “Com a mudança, quase a totalidade das instituições já fez adesão ao Fgeduc e permaneceu no programa. O nosso objetivo é democratizar ainda mais o acesso à educação superior na medida em que a adesão favorece os estudantes de baixa renda, que têm dificuldade de conseguir um  fiador”. 

Em encontro no mês passado, as instituições particulares discutiram as mudanças. Segundo o diretor executivo do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado de São Paulo (Semesp), Rodrigo Capelato, a participação não deve diminuir. 

O cenário atual é o seguinte: em média, 17% do total de alunos nas particulares contratam o Fies, e o fundo representa em torno de 25% da receita das instituições. Já o ProUni gera uma economia, em média, de cerca de 10% das despesas das instituições. O impacto calculado por Capelato deve ser uma redução de 2% ou 3% dessa economia, que é o percentual das vagas não preenchidas.

O professor de finanças públicas da Universidade de Brasília (UnB) José Matias-Pereira explica que as alterações do Fies podem ter sido feitas para facilitar o cumprimento da meta de superávit primário. “O governo está desenvolvendo ações no sentido de viabilizar o superávit primário e quando mexe nesses fundos, certamente há um impacto positivo”, explica.

“Por trás desse financiamento existe um risco, o Estado aparece como avalista. Se não houver pagamento, o Estado tem que honrar o compromisso. O que o governo está tentando é retirar da responsabilidade do Tesouro determinadas rubricas”, disse.

Capelato complementa dizendo que as mudanças vão possibilitar o pedido de mais créditos para o Fies. De acordo com ele, a promessa para este ano é R$ 3 bilhões em novos financiamentos. Os beneficiados devem saltar para 1,6 milhão até o fim do ano.

Quanto às mudanças no ProUni, Matias-Pereira avalia: “O governo entrou de maneira descontrolada nessa área de isenção tributária e o que está tentando é fechar essas torneiras para evitar que a arrecadação seja afetada”. Segundo ele, as instituições deverão ter maior comprometimento com a oferta de um ensino de maior qualidade e, dessa forma, atrair jovens para estudar na sua escola.

terça-feira, 4 de março de 2014

PM prende suspeito após perseguição

foto: facebook

Na tarde da última segunda-feira, 03, a Polícia Militar prendeu um suspeito após fazer perseguição e trocar tiros. Tudo indica que o autor  estava acompanhado de mais dois homens. O trabalho da Polícia terminou em uma das principais vias de acesso da cidade, rua do Rosário,   justamente quando o homem  tentou se esconder dentro de uma garagem.

Uma motociclista acabou sendo atropelada pelo veículo do suspeito, um pálio prata, do qual pode ter sido roubado em Divinópolis, cidade há  80 km de Bom Despacho.

 Um internauta, que trabalha em um posto de gasolina que fica próximo ao local da prisão filmou o momento da ação da polícia. "Tá doido, tive que deitar no chão, ouvi alguns disparos", disse.

A Polícia segue   no rastreamento dos suspeitos que fugiram da prisão.

Vereador Dr Fernando critica criação de Subprefeituras em Bom Despacho

                                         

O vereador Dr. Fernando Pediatra criticou a criação do projeto que cria subprefeituras em Bom Despacho, de autoria do Executivo. De acordo com o parlamentar, mais de 30 cargos serão criados,  o que irá gerar um custo  anual de mais de R$ 1 milhão para os cofres do município. 

"Acredito que Bom Despacho tem outras prioridades no momento, como por exemplo, a efetivação de  um médico pediatra e  de médico cardiologista", destacou em plenário. 

O vereador Dr. Fernando  também criticou a demissão dos funcionários da limpeza urbana, que aconteceu na semana passada. 

domingo, 2 de março de 2014

Teste rápido para HIV e sífilis é mantido pela Justiça



Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Edição: Beto Coura




Às vésperas de lançar o teste rápido para HIV e sífilis, o governo conseguiu  vitória na Justiça em uma ação que ameaçava o programa destinado às pessoas com maior vulnerabilidade ao vírus, como gays, profissionais do sexo, travestis, transexuais e usuários de drogas.

Representantes da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC) tentaram limitar a aplicação do teste, alegando que apenas farmacêutico, médico patologista e biomédico estariam aptos a realizar o teste.

A 17ª Vara Federal reconheceu que os testes rápidos podem ser feitos por profissionais da saúde de nível superior. Para a Justiça Federal "não há óbice legal para que profissionais de saúde, de uma forma geral, possam realizar os testes rápidos".

De acordo com a assessoria do Ministério da Saúde, a política foi planejada para que os testes sejam usados em um estágio inicial do diagnóstico, que não precisa ser feito em ambiente laboratorial.

A ideia é ampliar e tornar mais acessíveis os instrumentos para que a população consiga identificar a doença o mais rápido possível. O kit do teste rápido, que é produzido pelo laboratório BioManguinhos, apresenta o resultado em até 30 minutos.

Os testes rápidos começarão a ser aplicados no mês que vem. Atualmente, 40 organizações não governamentais, em todo o país, passam por treinamento para participar do programa.

A SBAC foi procurada pela Agência Brasil, mas não se manifestou.