Fernando Cabral responde processo administrativo por suspeitas de CARTEL de licitações em Brasília

Em julho de 2015, o CADE (Conselho de Desenvolvimento Econômico), órgão integrado ao Ministério da Justiça, instaurou o processo administrativo nº 08012.003021/2005-72, após receber a denúncia de que havia a suspeita de Cartel de licitações de Tecnologia da Informação no Ministério da Educação.

De acordo com reportagem publicada pelo site Convergência Digital, o processo investiga 15 empresas e mais 32 pessoas físicas que possam estar envolvidos no suposto esquema de cartel. E uma delas é a empresa de tecnologia de informação Padrão  IX Informática, antes gerenciada pelo Prefeito Fernando Cabral,  e está sendo investigada pelo CADE.

Para se ter idéia,  a denúncia partiu do MEC (Ministério da Educação)  que abriu uma licitação de R$ 10 milhões e  teve mais de 30 empresas interessadas, mas somente 2 compareceram ao leilão. Por causa disso, o CADE abriu processo de investigação contra as empresas e através da Operação Mainframe da Polícia Federal foram levantadas documentações que comprovasse o Cartel de Licitações no mercado público e privado de Tecnologia da Informação. 

“ Foram verificados indícios robustos de que as pessoas físicas e jurídicas ora representadas teriam celebrado ajustes com a finalidade de fixar preços, ajustar vantagens em licitações e dividir o mercado em questão. Além disso, verificou-se que elas teriam adotado diversos meios para implementar tal estratégia, assim como para monitorá-la. Além disso, há indícios de que tal suposto conluio também teria contado com a participação do Sindicato do mercado em questão, o Sindesei”, diz o Cade.

Para apurar melhor as suspeitas, o CADE investiga 15 empresas e mais 32 pessoas que possam estar envolvidas, e Fernando Cabral, atualmente Prefeito de Bom Despacho, terá de responder pelo processo.




Comentários