segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ação na Justiça Eleitoral pede investigação de Candidatura de Fernando Cabral à Reeleição

Uma ação impetrada no Tribunal Regional Eleitoral na última quinta-feira, 01, pede a investigação da candidatura do Prefeito Fernando Cabral, reeleito no pleito desse ano. A ação é interposta pela Coligação 'A Forca do Povo de Está de Volta' , encabeçada por Haroldo Queiroz e Ronaldo Leite. O pedido é para que sejam investigados procedimentos nos quais o atual mandatário utilizou antes e durante a campanha eleitoral.

Segundo o advogado Jarbas Dias Leandro, autor da ação,   no inicio desse ano o Prefeito Fernando Cabral, através de criação de Lei Municipal sancionada por ele em 2016,   oficializou a doação de terrenos às instituições municipais. O  ato, de acordo com o procurador,  fere o artigo  116 da Lei 8.666/93 . "Nesse processo solicitamos  que a Justiça Eleitoral investigue esse ato do prefeito", disse. 

Além de supostas doações de terreno, a ação também pede a  investigação de  abuso de poder econômico e de  autoridade, atos  atribuídos durante o período eleitoral deste ano em Bom Despacho pelo então Candidato Fernando Cabral. 

O fato é que se for condenado pela Justiça Eleitoral, o Prefeito Fernando Cabral corre o risco de não ser empossado no próximo dia primeiro de janeiro de 2017, pois  poderá se  tornar inelegível dependendo da sentença julgada. Como Dr. Bertolino  está na sua chapa, o médico também  pode não  tomar posse. 

Em caso dessas circunstâncias se concretizarem, a cidade de Bom Despacho ficará sob as mãos do Presidente da Câmara Municipal, atualmente presidida pelo Vereador Dr. Fernando Pediatra, mas com possibilidade de não continuar na cadeira, devido ter outros nomes concorrentes ao posto, como o de Vital Guimarães, Marcelão, Dra. Rose, Fernando Branco e Joice Quirino. Ou seja, a situação pode causar uma nova eleição municipal para o cargo de Prefeito no município. 


Em resposta ao Jornal Fique Sabendo, o Prefeito Fernando Cabral  disse ' que o direito de ação cabe a todo candidato derrotado e tentativa de ganhar no tapetão o que se perdeu no voto popular não é novidade.' Além de afirmar : " No que nos diz respeito,  temos certeza de que nenhum dos atos e fatos apontados pelo perdedor justifica o pedido feito. No momento, cabe-nos apresentar nossa defesa e aguardar a decisão soberana da justiça".







Nenhum comentário:

Postar um comentário