Doença rara se tornou problema grave em Bom Despacho

Comissão vai discutir surgimento de vários casos de angiodema hereditário e possível ajuda de autoridades da saúde.


Image result for angioedema hereditário
Doença rara e com alta taxa de mortalidade, o angioedema hereditário (AHE) tem sido registrado em muitas pessoas de Bom Despacho (Centro-Oeste de Minas). A constatação motiva audiência pública da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), nesta próxima quinta-feira (8/6/17), às 9 horas, no Auditório, para discutir como o poder público pode ajudar no diagnóstico e no tratamento da enfermidade.

O requerimento da reunião é dos deputados Antonio Carlos Arantes (PSDB) e Léo Portela (PRB). De acordo com a assessoria de Antonio Carlos Arantes, o parlamentar foi procurado pelo prefeito de Bom Despacho, Fernando Cabral, que relatou que já foram registrados 50 casos no município, de cerca de 50 mil habitantes, com uma morte.

A doença é rara e atinge, em média, uma pessoa a cada 50 mil e, justamente por causa de sua raridade, muitos médicos não a conhecem e não conseguem diagnosticá-la. Sua transmissão, conforme o nome indica, acontece por herança genética autossômica dominante. Toda pessoa afetada possui um genitor afetado e tem 50% de chance de manifestar a doença.
Os sintomas mais comuns são edemas de pele e de submucosa que afetam diversas partes do corpo e de órgãos, como a face, a genitália, a orofaringe, a laringe e o sistema digestivo.
A taxa de mortalidade é estimada entre 25% e 40% e, geralmente, ocorre por edema de laringe e asfixia. A falta de diagnóstico correto e a ausência de tratamento adequado contribuem com esse índice.

CTI - Para Antonio Carlos Arantes, o município precisa de ajuda das autoridades de saúde. “Todos querem entender essa doença. Além disso, a existência de um CTI é fundamental para o atendimento a uma pessoa em crise, mas a cidade não tem essa estrutura. Estamos preocupados com a possibilidade do número de mortes aumentar, se nada for feito”, disse.
A pedido do prefeito Fernando Cabral, o deputado Antonio Carlos Arantes enviou ofícios à Secretaria de Estado de Saúde e ao Ministério da Saúde solicitando apoio urgente ao município de Bom Despacho. As doenças de crohn e a retocolite ulcerativa, ambas doenças inflamatórias intestinais, também serão discutidas durante a reunião.

Foram convidadas para a audiência lideranças de Bom Despacho, autoridades da saúde, especialistas e representantes de entidades que lutam pelos direitos das pessoas com angioedema hereditário.

Fonte: Ass. Imp. ALMG

Comentários