Justiça Eleitoral aguarda parecer do Ministério Público em Processo contra Chapa de Fernando Cabral

Image result for justiça eleitoral mgNa última terça-feira, 15, em audiência realizada pela Justiça Eleitoral de Bom Despacho, ficou determinado que houve a dispensa das oitivas das testemunhas no processo eleitoral contra a chapa de Fernando Cabral e Dr Bertolino  e que haverá um prazo sucessivo de 10 dias para as alegações finais de cada parte envolvida. 

Na audiência, também ficou definido que a Justiça Eleitoral aguarda o parecer final do Ministério Público para se pronunciar oficialmente sobre o caso. Vale destacar que este processo  tramita desde a última eleição ocorrida na cidade em 2016. "Não houve ato ilícito. Mas, para que o leitor entenda, é preciso esclarecer de que se trata. Estou sendo acusado pelo ex-prefeito que perdeu a eleição. Basicamente, ele me acusa de: a) ter dado aumento de salário para os professores; b) ter dado reajuste de salário para os servidores; c) ter concedido promoções e progressões dos servidores; d) ter regularizado o uso do aeroporto; e) ter regularizado lotes; f) ter publicado coluna no Jornal de Negócios; g) ter dito aos torcedores da Máfia Azul que o Município poderia ajudar caso eles viessem a ter uma associação voltada para o amparo às crianças de Bom Despacho;. Bem, o leitor pode comprovar que não há nenhum ato ilegal. Nem ilegal nem imoral. São coisas que o prefeito precisa fazer. São legais, úteis e necessárias.", destacou o Prefeito Fernando Cabral em entrevista concedida ao Jornal Fique Sabendo no início da semana. 

Após tamanha repercussão nas redes sociais, a população vive a expectativa de como será definido o processo, uma vez que se  o Prefeito Fernando Cabral perder o mandato pela Justiça Eleitoral, um novo pleito poderá acontecer na cidade, conforme determina a legislação. Entretanto, o  denunciante da causa, o ex-Prefeito Haroldo Queiroz, não pode ser candidato já que está inelegível por 08 anos, conforme fora condenado pelos crimes de corrupção anteriormente. 

Para tanto, para concorrerem ao cargo de mandatário da cidade em caso de um possível novo pleito eleitoral, novos candidatos poderão surgir, porém somente depois da promulgação oficial  deste processo que dura há quase dois anos na cidade. "O direito de recorrer à Justiça é um dos pilares de democracia. Mas vemos que algumas vezes políticos derrotados e magoados tentam usar a Justiça não como forma de restabelecer o direito ofendido, mas como forma de vingança pela derrota sofrida nas urnas. São políticos autocráticos, rebarbativos, refratários às regras democráticas. São pessoas que não se conformam com a vitória legítima do adversário. Portanto, são antidemocráticas. Usar a justiça como vingança não é direito, é abuso de direito, ", afirmou o Prefeito Fernando Cabral. 



Comentários