sábado, 25 de setembro de 2021

Projeto de Municipalização das Escolas Municipais prevê investimentos na Educação de Bom Despaco


Subcretário Márcio Silva e Secretária Gabriela Fernandes

Professores concursados continuarão sendo pagos pelo Estado


No próximo dia 30 de Setembro está previsto para acontecer a audiência pública na Câmara Municipal de Bom Despacho para discutir o projeto de municipalização de algumas escolas estaduais que passarão ser geridas pelo município, tanto na parte de infraestrutura quanto na parte pedagógica. Apesar de haver um movimento que é contra, o projeto prevê investimentos para os estudantes que serão atendidos com a nova medida. 


Em conversa com o Jornal Fique Sabendo, a Secretária Municipal de Educação, Gabriela Fernandes da Silva Oliveira  informa que a municipalização trará recursos para a educação local, já que haverá um repasse de aproximadamente R$ 6 milhões para investir na formação dos alunos que serão atendidos pelo projeto. "Foi oferecido para todos os municípios mineiros, mas Bom Despacho assim como Nova Serrana e Moema desejaram optar pelo projeto, uma vez que este recurso será disponibilizado para investimentos tanto na parte de infraestrutura quanto na parte pedagógica", destacou. 


Deve-se destacar que o projeto será incrementado para as escolas que contam com as séries inicias do Ensino Fundamental, que são do 1º ao 5º ano. Ao todo, 822 alunos matriculados estarão divididos em 36 turmas. As escolas  que serão contempladas pelo projeto são Chiquinha Soares, Coronel Robertinho, Maria Guerra no Distrito do Engenho do Ribeiro e Egídio Benício de Abreu. 


Entretanto, para abrigar estes estudantes, a Secretaria Municipal de Educação planeja construir uma escola para  atender aos alunos que virão das Escolas Chiquinha Soares e Coronel Robertinho, com local ainda para ser confirmado em caso de aprovação do projeto na Câmara Municipal. Já a Escola Egídio Benício de Abreu, a perspectiva é que  deverá permanecer onde está com estes alunos, e os estudantes da Escola Maria Guerra deverão ficar no mesmo prédio, em regime de coabitação, sendo feito apenas uma adequação a infraestrutura, já que fica ao lado Creche Jacinto Salviano no Distrito do Engenho do Ribeiro, sendo que o terreno é do município. 


Professores


"Muito se falou que os professores da rede estadual de ensino  poderiam perder seus empregos ou serem remanejados dos seus locais de trabalho, porém nenhum deles deverá passar por esta situação, já que são funcionários efetivos do Estado e tem o direito garantido por lei, assim receberão seus salários e manterão seus convênios", afirmou o Subcretário Municipal de Educação, Márcio Antônio da Silva, que também conversou com o Jornal Fique Sabendo. 


No entanto, Márcio explica que o Professor que não quiser continuar na escola com a possível municipalização, deverá manifestar seu interesse de não continuar. "Estaremos aqui para ouvi-lo e atendê-lo. É importante lembrar que as designações e as contratações de professores não concursados  também deverão ser realizadas pela Secretaria Municipal de Educação, caso seja aprovada a municipalização", enfatiza Márcio. 


Sistema Municipal de Ensino   


A Secretaria Municipal de Educação ainda informa que Bom Despacho terá um sistema próprio de ensino, com o fornecimento aos alunos de materiais de alta qualidade (apostilas) de um Sistema de Ensino, melhorando ainda mais o nível de ensino ofertado pelo município.  As escolas municipalizadas também terão o ensino do tempo integral totalmente reformulado, desde a sua carga horária que passará a ser 8h às 17h, porém deve-se  ressaltar que o estudante ficará neste horário, permanecerá na escola apenas por  autorização dos pais. Também haverá  aulas de inglês e o aumento da carga horária de educação física para os alunos atendidos pelo município, isso a partir de 2022. 


Mais projetos pedagógicos e CEMAE


Na Matriz curricular do Município de 2022, será ofertado para os alunos do 1º ao 5º ano a disciplina de Educação Financeira, que está contemplada pelo Projeto “Aprender Valor”, que está sendo realizado em parceria com o Banco Central, do qual, professores e técnicos da Secretaria de Educação e alunos do 4º e 5º ano deverão participar.  Além deste, o Plano ainda contará com o Tempo de Aprender, que terá a parceria do MEC para a alfabetização dos alunos com idades de 5 a 7 anos. Outro Projeto de grande importância que já está sendo oferecido pelo município é o “Alfabetizar”, que é um reforço pedagógico, que visa recuperar os estudantes com dificuldade de aprendizado. A rede municipal de ensino contará com o Centro Municipal de Atendimento Especializado (CEMAE), onde será fortalecido a educação inclusiva, apoiando alunos que apresentam dificuldade na aprendizagem em virtude de deficiência ou transtornos no desenvolvimento físico, social, emocional e cognitivo ou altas habilidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário