TOQUE DE BOLA

Por Sérgio Cunha


Atlético vacilão!

Galo perde o jogo e a liderança do Brasileirão

 

Um apagão. Não há outro argumento para explicar a derrota atleticana em Salvador na última segunda (19). Depois de um primeiro tempo intenso, com velocidade no ataque e segurança defensiva, o que se viu na etapa complementar foi um Galo passivo, entregue a mudança tática do Bahia e os erros grotescos de Guga, Igor Rabelo e até de Everson (rebateu a falta que originou o primeiro tento do Baêa. O Atlético continuou pecando nas finalizações e se complicou na virada baiana. O atacante Gilberto só faltou voar. Não. Depois do golaço, com direito a uma humilhante jogada, voou literalmente numa pirueta espetacular. Dos últimos 12 pontos disputados, o alvinegro ganhou apenas 4. Muito pouco para quem mira o título do Brasileirão. O Internacional e Flamengo assumiram a liderança depois do resultado negativo. Já o Bahia manteve o tabu de 17 anos sem perder para o Atlético em Salvador! Eita!

Cabuloso Felipão

Escrevo antes do jogo do Cruzeiro em Ponta Grossa pela Série B. A missão do novo técnico, Luiz Felipe Scolari, é desafiadora na sua brilhante carreira. Tirar o Cruzeiro da zona da degola e cravar o acesso à primeira divisão. Como diria o José Guilherme: “vamos por partes”. De acordo com os matemáticos da UFMG, o Cabuloso tem 0,65% chance de subir e 54% para cair pra “terceirona”. Um triunfo contra o Operário é primordial pela estreia, pra dar moral ao elenco e pra respaldar o objetivo do projeto. Não será nada fácil para Felipão. Joguem suas fichas!

Feliz aniversário, Zé Pedro do Foto

Neste último sábado (17) o Zé Pedro do Foto completou 80 anos. Fotógrafo, artista plástico, desenhista. Usou as caricaturas rabiscadas do pai, Zezé do Olímpio, como inspiração e se especializou na arte de Leonardo da Vinci. Nome que utilizou para cunhar o seu “Studio”. Destemido desde criança, entrava nas capoeiras atrás de lenhas e caminhava nas vielas mal iluminadas da região da rua Tiradentes até o Sétimo Batalhão. Já no início da juventude ralou na venda do Moacir e na estofaria do Sô Martinho. E lá teve o seu talento de artista reconhecido e Sidnei Amorin o convidou para trabalhar no Foto Studio Oriental em 1958 ano que ingressou ao Exército no TG 004-006. Três anos depois já assumia a direção e o transformou em Foto da Vinci. Depois disso, suas fotografias ultrapassaram gerações na Cidade Sorriso. Dono de inúmeros personagens transformou-se numa lenda. Na sua indefectível capa preta ou nos inúmeros bonés e chapéus criou o mito Joseph Peter.  Os quadrinhos e o Cinema foram sua fascinação. Texas Kid, Roy Rogers, cowboys, mocinhos e pistoleiros permeavam nas suas histórias. As películas exibidas no Cine Odeon, na rua Faustino Teixeira, eram a sua maior diversão. Já nas artes, as esculturas, a igreja da Matriz no gesso e os milhares de desenhos foram as suas paixões. Caricaturas ou traços quase que reais. Talento nato. Um artista lendário. Do amor incondicional pela Dona Aninha nasceram quatro filhos. A honestidade, integridade e o caráter sempre foram os seus maiores ensinamentos. Zé Pedro acompanhou o crescimento de Bom Despacho através das fotografias. Alguns nomes folclóricos como Zé Repórter, Ministro, Romeu das Latinhas, Amador e Pôxa eram frequentadores do Foto da Vinci. Adoravam conversar com o Peter.  De 1961 a 2016 manteve o “Studio” vivo e depois o museu de memórias. Ficou triste por aposentar, fechar o local que mais se identificava, mas as lembranças ficaram. O JP confidenciou que ainda sonha com as fotografias artesanais, dos retoques a olho nu (o tipo primitivo de photoshop), da câmara escura, do revelador e das fotografias presas até secar. Lá recebia os amigos para boas prosas e de seu sofá via o movimento da rua Doutor Miguel. Hoje, em sua “aposentadoria compulsória”, se delicia entre sua coleção de filmes, as leituras, o papo sobre o Atlético com o filho e a companhia de sua amada Dona Aninha.  80 anos do Zé Pedro do Foto, do Joseph Peter, do JP, do meu pai. Beijos carinhosos do seus filhos Simone, Sibele, Silvia, Sergio e Flavia. Dos netos, Carol, Mariana, Felipe e Guilherme, e, dos bisnetos Ana Cecília e Arthur. Te amamos muito!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário