Universidade e indústria em parceria inédita para resolver gap de mão de obra


Una e Fiemg assinam acordo com o objetivo de aumentar a competitividade da indústria e a empregabilidade de jovens



Empresas, educadores e jovens concordam que há um gap entre a formação educacional e as necessidades do mercado. Para o reitor do Centro Universitário Una, Rafael Ciccarini, uma das chaves para aumentar a produtividade brasileira está na aproximação entre universidades e o setor produtivo. “Ouvimos dos industriais e do mercado que existem posições abertas, que necessitam de profissionais diversos para resolver questões contemporâneas e que os alunos que eles recebem das universidades não trazem as competências tanto de soft skills (habilidades comportamentais) quanto de hard skills (habilidades técnicas), para lidar com a complexidade do mercado de hoje”, diz Ciccarini.

Pensando nisso, a Una, instituição integrante da Ânima Educação, e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, firmaram uma parceria inédita para ampliar a empregabilidade, a competitividade e a inovação no estado. Com o programa INDÚSTRIA JOVEM as entidades esperam promover novas soluções para produtos e serviços, estágio avançado em todos os segmentos industriais, formação de mão de obra especializada para atender a indústria, e o maior aproveitamento das estruturas de educacionais das entidades. O acordo foi anunciado durante o Simpósio dos professores da Ânima em Belo Horizonte, nesta terça-feira (4).

              O foco da parceria está na experiência profissional na prática. Entre as novidades estão a criação de Hub de Soluções para a indústria, o Programa de Trainee que vai aproximar melhores alunos de grandes indústrias, estágios avançados em todas as áreas de atuação da Fiemg e um espaço para docentes da Una nas Câmaras e Conselhos de áreas técnicas como jurídico, econômico e trabalhista.

O presidente da Fiemg, Flávio Roscoe, ressalta que a indústria espera e precisa de profissionais conectados com os desafios da indústria. “O que falta no Brasil é a junção do conhecimento com aqueles que produzem. O primeiro objetivo da parceria é fazer com que isso se torne mais palpável, tornar o profissional mais qualificado para trabalhar nas empresas”, diz.

Com o projeto, os estudantes da Una de 19 unidades acadêmicas de Belo Horizonte, Região Metropolitana da Capital e mais sete cidades do interior terão acesso aos laboratórios da rede SESI e SENAI de Ensino, e também às empresas parceiras da Federação, alinhando assim, o saber teórico à prática de mercado, formando profissionais mais capacitados para as demandas da indústria. “Um dos espaços que os alunos poderão utilizar é o do Centro de Inovação e Tecnologia (CIT SENAI FIEMG). É um moderno complexo de laboratórios que tem em seu quadro de funcionários mestres e doutores prontos para solucionar os problemas do setor produtivo”, finalizou Roscoe.

O reitor Ciccarini concorda com a desarticulação entre os conteúdos ministrados em aulas e os problemas da vida real. “Muitas vezes a indústria traz um aluno com a teoria, porém na prática tem que treiná-lo de novo. A Una, dentro do nosso posicionamento estratégico, é a marca que mais deseja estar mais perto do mercado de trabalho. O aluno da Una quer qualidade e condições de transformação para o país e para a vida dele. É um aluno que trabalha de dia e estuda à noite, é inquieto e que não se conforma com o status quo dele e das coisas. Tudo o que ele quer é de fato uma proximidade com quem pode emprega-lo”, explica. 
O presidente da Ânima Educação, Marcelo Battistella Bueno, comemorou a parceria e corroborou as palavras do reitor da Una, destacando que o Brasil precisa deste tipo de aproximação para voltar a crescer. “Hoje em dia não podemos nos conformar com esta história de que o jovem se forma para aprender a trabalhar. Precisamos oferecer essas oportunidades de aprendizado ao longo de toda a formação. Nosso currículo é o que há de mais moderno no mundo no que se trata de competências voltadas para o trabalho. E nossa missão vai ao encontro da missão da própria Fiemg”, assinalou.

A parceria vai beneficiar também os alunos da rede privada de Educação Básica da Fiemg (Sesi - 34 escolas) e da rede de educação profissional (Senai - 83 escolas), que terão acesso aos laboratórios e estruturas da Una.

Crédito: Sebastião Jacinto Junior
Legenda: Da esquerda para a direita, Rafael Ciccarini, reitor da Una, e Flávio Roscoe, presidente da Fiemg.

fonte: Ass. Imp. Una Bom Despacho 


Comentários