https://securepubads.g.doubleclick.net/gampad/adx Jornal Fique Sabendo Bom Despacho : Juliana Jaber

Juliana Jaber



                               Juliana Jaber


MINHA SAÚDE, MEU DIREITO


O título desta coluna foi o tema escolhido para a celebração do dia mundial da saúde deste ano, que aconteceu no dia 07 de abril, com o objetivo de conscientizar a população sobre seus direitos e multiplicar informação para a promoção da saúde. O mês de abril traz datas importantes para repensarmos nossa fragilidade e desafios para o futuro, como o dia de conscientização sobre o autismo e o dia mundial de combate ao câncer.

Percebemos o quanto precisamos de políticas voltadas para a saúde quando adoecemos ou nos deparamos com situações atípicas de nosso organismo, que nos levam a cuidados continuados. Quando recebi o diagnóstico de câncer, em 2013, aprendi a ressignificar a vida e naquele momento, nasceu em mim uma força que lutaria por muitas pessoas, não só em tratamento oncológico, mas que enfrentavam outros problemas crônicos e a falta de acessibilidade e inclusão.

O direito à saúde deveria ser disciplina nas escolas, assim como empreendedorismo, gestão financeira e sustentabilidade. Quando nos tornamos pacientes, além de lidar com o choque de um diagnóstico, somos forçados a um processo de amadurecimento rápido e que, por muitas vezes, coloca em risco a nossa saúde mental. Não sabemos a quem recorrer, se em nosso município encontraremos o amparo necessário ou se teremos recursos financeiros suficientes para o enfrentamento das dificuldades. É nosso dever exigir saúde humanizada, mas deveríamos nos preocupar também em conhecer nossos direitos. Participe de grupos de promoção de saúde, oriente-se com profissionais de saúde sobre temas específicos, acompanhe informações em canais de comunicação do governo. Refletir sobre os desafios para a saúde do futuro nunca foram tão importantes. Estamos em colapso e comprovamos isso com a recente pandemia de COVID e com a epidemia de dengue. Cuidar da saúde é muito mais simples que pensamos. Ao mudamos nossos hábitos, como alimentar de forma balanceada, beber bastante água, andar descalço na terra, tomar sol, praticar atividade física, parar de fumar, evitar consumo de álcool, buscar o equilíbrio físico, emocional e espiritual, optamos pela vida.

A Organização Mundial da Saúde fez uma projeção de que o número de casos de câncer até o ano 2050 pode aumentar em 77%, se comparados às estatísticas dos últimos anos. No ano de 2022, foram registrados cerca de 20 milhões de casos no mundo. O estudo leva em consideração não apenas o envelhecimento da população, mas a exposição a fatores de risco e as condições socioeconômicas, que nos coloca em situação de alerta para a urgência de mudança.

Com relação ao autismo, um distúrbio do neurodesenvolvimento caracterizado por desenvolvimento atípico, manifestações comportamentais, déficits na comunicação e na interação social, estudos apontam a importância de identificarmos sintomas na primeira infância, para garantirmos o cuidado adequado e resultados mais significativos a longo prazo. O que existem atualmente são estimativas não-oficiais sobre o número de pessoas com TEA (Transtorno do Espectro Autista) no país e no mundo. A falta de conhecimento e o preconceito, infelizmente ainda são dificultadores para uma melhor qualidade de vida.

Enfim, penso que saúde, educação, meio ambiente, desenvolvimento social, cultura, esporte e infraestrutura estão conectados e trabalho para que a cidade inteligente não seja apenas uma atribuição de características tecnológicas, mas uma realidade sentida por todos através de uma política que verdadeiramente cuide de gente.

JULIANA JABER, Vice-prefeita de Bom Despacho, Fundadora da ONG Metástase do Amor (Associação de prevenção e combate ao câncer), Consultora de Negócios e Escritora. Acompanhe o trabalho pelas redes sociais @jujaber e conheça mais sobre a atuação e história acessando o site www.julianajaber.com.br .

Nenhum comentário:

Postar um comentário