Dengue: mitos e verdades


A dengue tem sido tema recorrente em todo o Brasil nos últimos meses, consequência de índices alarmantes de casos notificados. Como a divulgação de informações irreais sobre a doença atrapalha a prevenção e o combate, alguns esclarecimentos sobre o que é verdade e o que é mentira a respeito da dengue devem ser feitos.

- A picada do mosquito é a única forma de transmissão da dengue?

Sim, a dengue não é transmitida por pessoas, objetos ou outros animais.

- Uma pessoa infectada pode passar a doença para outra?

Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções para pessoas sadias. A pessoa também não se contamina por meio de fontes de água, alimento, ou uso de objetos pessoais do doente de dengue.

- Velas de citronela ou andiroba ajudam no combate ao mosquito?

Esses recursos têm efeito temporário e indeterminado.

- Basta secar os lugares onde tem água parada?

Não adianta só secar os reservatórios de água parada, é necessário limpá-los também. O ovo do mosquito pode se manter vivo por mais de um ano sem água.

- O inhame e o complexo B ajudam na prevenção da dengue?

Não. As pessoas falam que principalmente o complexo B tem um cheiro muito forte e espanta o mosquito, mas não é verdade. Tomar vitamina B para evitar a aproximação do mosquito não se mostra eficaz, uma vez que o efeito varia de acordo com o metabolismo da pessoa, podendo não repelir o mosquito.

- É verdade que o mosquito se reproduz mais rápido no calor? Que outros hábitos o Aedes tem?

Sim. No calor, o período reprodutivo do mosquito fica mais curto e ele se reproduz com maior velocidade. Isso explica o aumento de casos de dengue no verão. O mosquito fica onde o homem estiver, prefere picá-lo a qualquer outra espécie e gosta de água acumulada para colocar seus ovos.

- Água de piscinas pode servir de criadouro para o mosquito?

Depende. Se a água estiver bem tratada e com a concentração recomendada de cloro, o mosquito não se desenvolve. Já foi comprovado que água com cloro e água salgada funcionam como repelentes. Caso contrário, o mosquito pode se desenvolver sim.

- Aplicar borra de café na água das plantas e sobre a terra ajuda a combater o Aedes aegypti?

Não. A eficácia da borra de café não foi comprovada na prática do dia a dia (já foi verificado que água suja de borra de café desenvolve a larva do mosquito) e a sua utilização não simplifica os cuidados atualmente recomendados, que são a eliminação de pratos ou a utilização de pratos juntos aos vasos, a colocação de areia até as bordas dos pratos ou a eliminação da água e a limpeza dos pratos com bucha e sabão semanalmente. Além disso, a borra de café com açúcar pode atrair formigas.

- A dengue pode ser contraída mais de uma vez?

Ao contrair dengue, a pessoa fica imunizada permanentemente para aquele sorotipo do vírus, mas não para os outros. Dessa forma, uma mesma pessoa pode ter dengue até quatro vezes. A segunda infecção por qualquer sorotipo da dengue é, na maioria das vezes, mais grave do que a primeira, independentemente dos sorotipos e de sua sequência. É importante lembrar, porém, que manifestações mais graves da dengue podem ocorrer na primeira infecção.

- Algum medicamento cura a dengue?

Não. Não existe nenhum antiviral que cure a dengue. Quando a pessoa é diagnosticada com dengue, os sintomas é que são tratados de modo paliativo com analgésico, antitérmico e muita hidratação.

Ações de prevenção

O Governo de Minas lançou no final de 2010 o Programa Estadual de Controle Permanente da Dengue, que conta com a ajuda do Exército, da Aeronáutica, do Ministério da Saúde, das prefeituras e da sociedade no enfrentamento à ameaça de uma grande epidemia da doença no Estado. Entre as ações está a criação de uma Força Tarefa formada por cerca de 400 profissionais e voluntários. O Governo de Minas investirá no programa R$ 60 milhões do Tesouro do Estado até junho de 2011.

Canal denúncia

Uma arma poderosa contra o inimigo é denunciar focos de multiplicação do mosquito da dengue. Utilize essa arma com precisão e consciência. Se você identificar algum lugar em sua cidade que tenha foco de dengue, dê sinal de alerta! Ligue e denuncie: 0800 283 2255.

fonte: Ag. Minas

Comentários