PM faz orientações contra o Golpe do Telefone

Asp. Lorena com o Cmt. Capitão Elias da 50 CIA.
Uma onda de ligações está acontecendo em Bom Despacho. Durante este mês de Fevereiro, inúmeros bondespachenses receberam chamadas clandestinas de pessoas que se identificavam como familiares e também como sequestradores. 

Para diminuir este risco, a Polícia Militar, através do 50 CIA de Policiamento do 7º BPM, faz algumas orientações a população, para prevenir futuros prejuízos para quem se submete às investidas destes bandidos. 

Entre os casos mais comuns estão  supostos sequestros de filhos de bondespachenses que moram em outras cidades do estado, além da invenção de outros acontecimentos como acidentes automobilísticos e cirurgias. "É importante que o cidadão consiga identificar o número do telefone, pois nos ajudaria no rastreamento destes criminosos", destacou a Aspirante Lorena, em conversa com o Jornal Fique Sabendo. 

Veja a carta de orientações: 

Nota técnica

Nas últimas semanas, os cidadãos bondespachenses vêm enfrentando uma onda de tentativas de “golpes” via telefone fixo. Trata-se do crime previsto no art. 171 do Código Penal, Estelionato, em que o golpista tenta utilizar meios fraudulentos para induzir o cidadão de bem ao erro, ou seja, a “cair no golpe”. Especificamente na última semana, a PMMG de Bom Despacho recebeu, via 190 e redes sociais, denúncias desses crimes, as quais nos informaram que parentes (filho, irmão, sobrinho, etc), estavam sequestrados ou haviam sofrido acidente automobilístico, e, o suposto sequestrador, pedia quantidades em dinheiro para liberar o parente “sequestrado” ou para pagar os danos do veículo “acidentado”. O golpista exige o número de celular da vítima para mantê-la ocupada e aterrorizada com as conversas encenadas. Eles chegam à ousadia de colocar uma segunda pessoa no telefone, interpretando ser o parente sequestrado, chorando e gritando:” _ mãe/pai, socorro, eu fui sequestrado (roubado, agredido, etc)”. Assim, a PMMG vem divulgar informações de segurança, com intuito de auxiliar ao cidadão de bem para melhor identificar e saber como agir diante dessa situação:
1
 - Nunca forneça nenhum dado ou faça qualquer pergunta ao “sequestrador”: Ele pode aproveitar desta situação para conseguir, por exemplo, o nome do parente que diz ter sequestrado, com objetivo de dar maior realidade à tentativa de golpe;
2-    Nunca cite nome (s) de parentes;
3-    Não faça depósitos bancários;
4-    Não dê continuidade a este tipo de ligação: desligue o telefone;
5-    Ligue para o parente supostamente sequestrado;
6-    Há situações em que o parente pode não estar com o celular ligado ou próximo a ele, desta forma, utilize redes sociais, telefone de trabalho ou de pessoas/amigos que possam estar perto dele;
7-    Preste atenção no sotaque do “sequestrador”: muitas vezes, pessoas de outros estados ligam, aleatoriamente, não sabendo sequer de qual localidade se trata o golpe, assim você terá certeza que trata-se de uma farsa;
8-    Se o seu telefone possui identificador de chamadas (BINA), anote o número registrado e acione o 190, imediatamente, informando o número anotado;
9-    Reflita sobre a situação! Sabemos que trata-se de um momento de estresse emocional, porém, tente manter a calma;
10- Caso constate veracidade do telefonema, acione a PM imediatamente!
  

Comentários